Maceió-AL

Ameaça de extinção global pode ser maior do que se pensava anteriormente , diz estudo

Veja também

AR NEWS NOTÍCIAS   Brasil, Maceió  20  de julho de 2022
revista Frontiers in Ecologia e Meio Ambiente.
revista Frontiers in Ecologia e Meio Ambiente.


Um novo estudo sugere que o perigo de perda maciça de espécies em todo o planeta é muito maior do que se pensava anteriormente, com cerca de 30% das espécies ameaçadas ou extintas desde o ano de 1500.


🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui

Os 3.331 especialistas em biodiversidade de 113 países foram solicitados a estimar a perda de biodiversidade global passada e futura, bem como classificar os fatores que levam as espécies a se tornarem globalmente ameaçadas ou extintas.

Os especialistas, que publicaram estudos significativos sobre biodiversidade, também classificaram os fatores da perda global de biodiversidade e estimaram seus impactos nos ecossistemas e nas pessoas.


Continue a leitura após o anúncio:
🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

Os pesquisadores, liderados pelo professor associado da Universidade de Minnesota, Forest Isbell, compararam os resultados da pesquisa com outras fontes de informação e observaram que o estudo é importante porque "os tomadores de decisão geralmente confiam no julgamento de especialistas para preencher as lacunas de conhecimento".

Um relatório anterior de 2019 das Nações Unidas compilado por apenas 145 especialistas de 50 países descobriu que cerca de 12,5% de todas as espécies na Terra, ou cerca de 1 milhão de espécies, foram globalmente ameaçadas ou levadas à extinção desde o ano de 1500.

O estudo também fez uma série de conclusões consistentes com estudos anteriores, incluindo a identificação de mudanças humanas no uso da terra e a superexploração como os principais fatores de perda global para espécies terrestres comumente estudadas, enquanto a superexploração e as mudanças climáticas foram os fatores para a perda de vida marinha.

Para outras espécies comumente estudadas, como anfíbios, répteis e aves, as mudanças na forma como os humanos usam a terra e o mar foram os fatores mais importantes para a perda de biodiversidade.

Enquanto isso, as mudanças climáticas e a poluição foram os principais fatores para a perda de biodiversidade para espécies menos estudadas, como invertebrados aquáticos e micróbios.

🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️



🖥️ FONTES : 

relatório de 2019 das Nações Unidas

📙 GLOSSÁRIO:

Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>