Maceió-AL

Bilhões de pessoas vivem com problemas de saúde mental, diz OMS em relatório histórico

AR NEWS NOTÍCIAS 17 de junho de 2022
Quase um bilhão de pessoas sofrem com um transtorno de saúde mental, revela estudo da OMS
saúde mental
saúde mental


🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui

Por Nicky Harley


A Organização Mundial da Saúde está pedindo aos países que tomem medidas urgentes para resolver as inadequações nos cuidados de saúde mental.

Em sua maior revisão de cuidados de saúde mental desde a virada do século, a OMS publicou hoje um plano para transformar as questões de saúde mental globalmente.

Está pedindo aos governos e defensores que intensifiquem o compromisso e a ação para mudar atitudes, ações e abordagens à saúde mental.

Os números mais recentes mostram que quase um bilhão de pessoas – incluindo 14% dos adolescentes do mundo – vivem com um transtorno mental, representando uma em cada oito pessoas em todo o mundo.

Nos Emirados Árabes Unidos, o número de pacientes que procuram ajuda para problemas de saúde mental aumentou pelo menos seis vezes nos últimos três anos.

A OMS diz que a depressão e a ansiedade aumentaram mais de 25% no primeiro ano da pandemia e diz que mesmo em países de alta renda apenas um terço das pessoas com depressão recebe tratamento formal.

Pesquisa nas Melhores Bibliotecas

🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

Sua pesquisa mostra que o suicídio é responsável por mais de 1 em cada 100 mortes e 58% dos suicídios ocorreram antes dos 50 anos.

Pessoas com condições graves de saúde mental morrem em média 10 a 20 anos mais cedo do que a população em geral, principalmente como resultado de doenças físicas evitáveis, diz.

Em todos os países, identificou os mais pobres e desfavorecidos da sociedade como estando em maior risco de problemas de saúde mental e que também são os menos propensos a receber serviços adequados.

Ele também diz que as mudanças climáticas podem afetar a saúde mental.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, está pedindo mais investimento em saúde mental, pois o relatório revela que os países dedicam, em média, menos de 2% de seus orçamentos de saúde à saúde mental.

“A vida de todos toca alguém com uma condição de saúde mental. Boa saúde mental se traduz em boa saúde física e este novo relatório é um argumento convincente para a mudança”, disse ele.

“Os vínculos inextricáveis ​​entre saúde mental e saúde pública, direitos humanos e desenvolvimento socioeconômico significam que a transformação de políticas e práticas em saúde mental pode trazer benefícios reais e substantivos para indivíduos, comunidades e países em todos os lugares. O investimento em saúde mental é um investimento em uma vida e um futuro melhores para todos.”

O relatório insta todos os países a acelerarem a implementação do plano de ação abrangente de saúde mental 2013–2030.

Ele diz que o progresso tem sido lento, revelando que 45% dos países relataram em 2013 que tinham políticas e planos de saúde mental alinhados com instrumentos de direitos humanos, mas apesar de um plano de ação para atingir 80% até 2030, apenas 51% até agora fiz isso..

“Bolsões de progresso alcançados na última década provam que a mudança é possível”, diz o relatório.

“Mas a mudança não está acontecendo rápido o suficiente, e a história da saúde mental continua sendo de necessidade e negligência. Por décadas, a saúde mental tem sido uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública, recebendo uma pequena parte da atenção e dos recursos de que precisa e merece”.

Ele faz várias recomendações de ação, que são agrupadas em três "caminhos para a transformação" que se concentram na mudança de atitudes em relação à saúde mental, abordando os riscos à saúde mental e fortalecendo os sistemas de atenção à saúde mental.

Conclama as nações e organizações a trabalharem juntas para aprofundar o valor e o compromisso dado à saúde mental, remodelar os ambientes que influenciam a saúde mental e fortalecer os sistemas que cuidam da saúde mental das pessoas.

Devora Kestel, diretora do departamento de saúde mental e uso de substâncias da OMS, pediu mudanças.

“Todo país tem ampla oportunidade de fazer progressos significativos em direção a uma melhor saúde mental para sua população”, disse ela.

“Seja desenvolvendo políticas e leis de saúde mental mais fortes, cobrindo a saúde mental em esquemas de seguro, desenvolvendo ou fortalecendo serviços comunitários de saúde mental ou integrando a saúde mental aos cuidados gerais de saúde, escolas e prisões, os muitos exemplos deste relatório mostram que as mudanças estratégicas podem fazer uma grande diferença”.

🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem