-->

{ads}

O que é um corredor humanitário?

Leia outros artigos :

Ilustração:corredor humanitário


Os confrontos entre Israel e o grupo palestino Hamas desde sábado continuam a causar um impacto avassalador na vida das pessoas na região.

A situação na região agravou-se após um ataque surpresa a Israel por parte do Hamas. Alegaram que a ofensiva era uma resposta ao ataque ao complexo da Mesquita de Al-Aqsa nos últimos dias e à crescente violência perpetrada pelos colonos israelenses contra os palestinos.

Em retaliação, Israel lançou ataques aéreos sobre Gaza e anunciou a interrupção do fornecimento de eletricidade, alimentos, água e outros recursos cruciais ao enclave. Esta área abriga quase 2,2 milhões de pessoas.

Adnan Abu Hasna, porta-voz da Agência de Assistência e Obras das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina (UNRWA), alertou na quarta-feira que Gaza enfrentará uma "catástrofe humanitária sem precedentes" se não forem abertos corredores seguros para a chegada de ajuda humanitária.

Apesar de ainda não se ter concretizado, vários intervenientes internacionais têm instado cada vez mais à criação de um corredor humanitário para a Faixa de Gaza.

Mas afinal, o que é um corredor humanitário?


O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV), em seu site, define corredores humanitários como acordos essenciais entre as partes envolvidas em um conflito armado. Estes acordos permitem a passagem segura em uma área geográfica específica durante um período limitado de tempo.

De acordo com o CICV, esses corredores seguros permitem o transporte de ajuda humanitária para áreas afetadas por conflitos, bem como a evacuação de feridos.

Embora desempenhem um papel fundamental na prestação de assistência a áreas afetadas e na garantia de segurança para os civis, a Cruz Vermelha ressalta que os corredores humanitários não são uma solução ideal devido às suas limitações.

Ela enfatiza que os civis devem ser protegidos dos efeitos de um conflito e autorizados a evacuar a área onde o conflito está ocorrendo, mesmo na ausência de um acordo de corredor seguro.

"Organizações humanitárias devem ser capazes de atuar sempre e onde for necessário para fornecer proteção e assistência às pessoas afetadas por conflitos armados", afirma o CICV.

"Os envolvidos nos combates devem garantir que as regras do Direito Internacional Humanitário sobre a condução das hostilidades sejam respeitadas, a fim de proteger os civis e permitir a chegada de assistência humanitária aos necessitados", acrescenta.

Exemplos de corredores humanitários


A criação de corredores humanitários tem sido uma prática comum durante muitos conflitos recentes.

Poucos dias após o início da guerra entre Rússia e Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022, em 4 de março, Moscou e Kiev concordaram em estabelecer um grupo de trabalho conjunto, mediado pelo CICV, na tentativa de criar corredores humanitários para áreas de conflito intenso.

Estes corredores buscavam facilitar a evacuação de civis e o fornecimento de ajuda humanitária, mas não tiveram sucesso, pois ambos os lados não conseguiram chegar a um acordo em várias ocasiões.

Mais recentemente, em agosto deste ano, a Ucrânia anunciou a criação de corredores temporários para navios mercantes que chegam e partem dos portos do país no Mar Negro, após a Rússia suspender sua participação na Iniciativa de Cereais do Mar Negro no mês anterior.

Esses corredores, estabelecidos unilateralmente, visavam possibilitar o transporte de cereais para os mercados mundiais, apesar do colapso do acordo de cereais.

Em outras regiões, a estrada de Lachin tem sido utilizada para transportar ajuda humanitária e proporcionar uma passagem segura para a população armênia da região de Karabakh, no Azerbaijão, que foi libertada após quase três décadas de ocupação armênia em confrontos no outono de 2020, e posteriormente de grupos separatistas em setembro.

Sendo a única rota terrestre da Armênia para Karabakh, a estrada de Lachin foi palco de tensões políticas entre Baku e Yerevan nos últimos meses devido às alegações da Armênia de que o Azerbaijão estava causando uma "crise humanitária" na região ao "bloquear" a estrada.

O Azerbaijão negou veementemente as alegações da Armênia e propôs o uso de outra rota, a estrada Aghdam-Khankendi, para envios à região.

Na Síria, os corredores humanitários têm sido uma tábua de salvação para os habitantes locais do país, que enfrentam uma violenta guerra civil desde 2011.

A fronteira de Bab Al-Hawa, localizada no noroeste da Síria, permitiu a entrega de ajuda humanitária a quatro milhões de pessoas pela ONU desde 2014. Além disso, as fronteiras de Bab al-Salam e Al-Ra'ee também foram abertas após dois terremotos centrados em Turquia que devastaram a região em fevereiro, incluindo a Síria.
AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:

🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.