Maceió-AL

PT recebeu o presidente do Conselho Legislativo Palestino, Hassan Khreisheh

Veja também

PT Congresso do Brasil recebe o segundo vice-presidente do Conselho Legislativo Palestino Hassan Khreisheh, dezembro de 2022. [Foto: Site Oficial do Congresso Brasileiro]
PT no Congresso do Brasil recebe o segundo vice-presidente do Conselho Legislativo Palestino Hassan Khreisheh, dezembro de 2022. [Foto: Site Oficial do Congresso Brasileiro]
Logo AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas
AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas

AR NEWS:  Brasil, Maceió ,10/12   de 2022




O Comitê de Direitos Humanos do Parlamento Brasileiro dedicou uma sessão de audiência pública na noite de quarta-feira à situação dos direitos humanos nos Territórios Palestinos Ocupados. Pela primeira vez, o Parlamento brasileiro convidou vários palestinos para vir ao Brasil e falar sobre as violações sistemáticas dos direitos humanos pelas forças de ocupação israelenses contra o povo palestino, sua terra, propriedade e liberdade, pedindo aos deputados brasileiros que exerçam mais pressão sobre a ocupação e expor seus crimes. O Parlamento brasileiro também convidou membros do comitê brasileiro a visitar os territórios palestinos para descobrir a verdade sobre os crimes israelenses lá.

 "O convite veio após a eleição do presidente Lula da Silva que sempre apoiou a causa palestina e mostra seu interesse em fortalecer as relações Brasil-Palestina. O Brasil é um dos países influentes da região, e seu povo é simpático e acolhedor a outras nacionalidades e aos nossos palestinos no Brasil em particular."


A comissão, chefiada pelo deputado federal Leonardo Montero (PT), fez um convite oficial inédito a várias figuras parlamentares palestinas para participar da sessão. Entre eles estavam Hassan Khreisheh, segundo vice-presidente do Conselho Legislativo Palestino (PLC), Embaixador da Palestina em Brasília Ibrahim Al-Zaben, Presidente do Instituto Brasileiro-Palestino (Iberspal) Ahmed Shehadeh e Presidente da Federação Árabe Palestina do Brasil ( FEPAL) Ualid Rabah.


"Hoje, estou aqui para transmitir a situação real da Palestina, começando com a Nakba palestina de 1948, o refúgio de milhões de palestinos, a violência e arbitrariedade da ocupação israelense, o bloqueio de Gaza e a expansão dos assentamentos ilegais na Cisjordânia e Jerusalém", expressou o segundo vice-presidente do Conselho Legislativo Palestino, Dr. Hassan Khreisheh, durante a sessão.

🔵Para as últimas manchetes, siga nosso canal do Google Notícias on-line ou pelo aplicativo.  📰 aqui



Continue a leitura após o anúncio:
Confira  Últimas Notícias 🌎




📙 GLOSSÁRIO:


Atentado suicida perpetrado pelo Hamas em Jerusalém contra um autobus

Atentado suicida perpetrado pelo Hamas em Jerusalém contra um ônibus



O termo violência politica palestina refere-se aos atos de violência realizados em prol da causa palestina. Estes objetivos políticos incluem a autodeterminação e a soberania sobre a Palestina, a liberação daquele território e a criação de um Estado palestino, seja ele no lugar de Israel e dos territórios palestinos, ou apenas nestes últimos. Dirigido periodicamente a metas mais limitadas, como a libertação de prisioneiros palestinos, uma meta importante desta violência visa a aplicação do direito de retorno dos refugiados palestinos.

Grupos palestinos envolvidos em atos de violência com motivações políticas incluem o Hamas, a Organização para a Libertação da Palestina (OLP), a Jihad Islâmica Palestina, o Fatah, a Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), a Frente Popular para a Libertação da Palestina - Comando Geral (FPLP-CG), a Frente Democrática para a Libertação da Palestina, e a Organização Abu Nidal. Entre as táticas adotadas estão sequestros de aviões, tiroteios, atentados e apedrejamentos.

O terrorismo palestino teve como alvo israelenses, palestinos, libaneses, jordanos, egípcios, e cidadãos de diversos outros países.


 Os atos de terror dentro e fora de Israel, e foram direcionados tanto a alvos civis quanto militares. Estatísticas israelenses afirmam que 3 500 cidadãos daquele país e 25 000 teriam sido feridos como resultado de atos de terror cometidos por palestinos desde a criação do Estado de Israel, em 1948. Estes números incluem soldados e civis, incluindo aqueles que foram vitimados em trocas de tiro entre ambos os lados.
🖥️ FONTES :
 
Com Agências

O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

  Continue a leitura no site após o anúncio:




Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>