Maceió-AL

Por que a esquerda está tão fascinada com o comunismo ?

Veja também

objetivo principal do comunismo: restringir a liberdade pessoal.

 Objetivo principal do comunismo: restringir a liberdade pessoal. 

Logo AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas
AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas





Por Walter Williams

Antes da pergunta, que tal algumas estatísticas? O século 20 foi o século mais brutal da humanidade. Cerca de 16 milhões de pessoas perderam a vida durante a Primeira Guerra Mundial; cerca de 60 milhões morreram durante a Segunda Guerra Mundial. Guerras durante o século 20 custaram cerca de 71 milhões a 116 milhões de vidas.

O número de mortos na guerra é insignificante em comparação com o número de pessoas que perderam a vida nas mãos de seus próprios governos. O falecido professor Rudolph J. Rummel, da Universidade do Havaí, documentou essa tragédia em seu livro “Morte pelo governo: genocídio e assassinato em massa desde 1900”.

🔵Para as últimas manchetes, siga nosso canal do Google Notícias on-line ou pelo aplicativo.  📰 aqui

A República Popular da China encabeça a lista, com 76 milhões de vidas perdidas nas mãos do governo de 1949 a 1987. A União Soviética segue, com 62 milhões de vidas perdidas de 1917 a 1987. O governo alemão nazista de Adolf Hitler matou 21 milhões de pessoas entre 1933 e 1945. Depois, há regimes assassinos menores, como a China Nacionalista, Japão, Turquia, Vietnã e México. De acordo com a pesquisa de Rummel, o século 20 viu 262 milhões de vidas perdidas nas mãos de seus próprios governos.

As atrocidades de Hitler são amplamente reconhecidas, divulgadas e condenadas. A condenação das nações conquistadoras da Segunda Guerra Mundial incluiu a desnazificação e levar os perpetradores do Holocausto a julgamento e puni-los com longas sentenças e execuções. Medidas semelhantes foram tomadas para punir os assassinos do Japão.

Mas e os maiores assassinos da história da humanidade – Josef Stalin da União Soviética e Mao Zedong da China? Alguns esquerdistas viram esses comunistas como heróis. WEB Du Bois, escrevendo no National Guardian em 1953, disse: “Stalin foi um grande homem; poucos outros homens do século 20 se aproximam de sua estatura. ... A maior prova de sua grandeza (era que) ele conhecia o homem comum, sentia seus problemas, seguia seu destino”. Walter Duranty chamou Stalin de “o maior estadista vivo” e “um homem quieto e discreto”.

Havia até admiração esquerdista por Hitler e seu colega fascista Benito Mussolini. Quando Hitler chegou ao poder em janeiro de 1933, George Bernard Shaw o descreveu como “um homem muito notável, um homem muito capaz”. O presidente Franklin Roosevelt chamou o fascista Mussolini de “admirável” e ficou “profundamente impressionado com o que ele (tinha) realizado”.

Em 1972, John Kenneth Galbraith visitou a China comunista e elogiou Mao e o sistema econômico chinês. Michel Oksenberg, especialista em China do presidente Jimmy Carter, reclamou: “A América (está) fadada à decadência até que mudanças radicais, até revolucionárias, alterem fundamentalmente as instituições e os valores”. Ele nos exortou a “emprestar ideias e soluções” da China. O professor da Universidade de Harvard, John K. Fairbank, acreditava que os Estados Unidos poderiam aprender muito com a Revolução Cultural, dizendo: “Os americanos podem encontrar na vida coletiva da China hoje um ingrediente de preocupação moral pessoal com o próximo que tem uma lição para todos nós”. A propósito, estima-se que 2 milhões de pessoas morreram durante a Revolução Cultural da China.

Continue a leitura após o anúncio:
Confira  Últimas Notícias 🌎

Os elogios mais recentes ao assassinato de tiranos vieram de Anita Dunn, diretora interina de comunicações do presidente Barack Obama em 2009, que disse: “Dois dos meus filósofos políticos favoritos (são) Mao Zedong e Madre Teresa”.

Lembre-se das manifestações no campus da década de 1960, nas quais os radicais do campus, muitas vezes acompanhados por seus professores, marchavam cantando louvores a Mao e acenando com o Pequeno Livro Vermelho de Mao. Isso pode explicar um pouco da bagunça do campus hoje. Alguns desses radicais do campus são agora professores titulares e administradores nas universidades e faculdades de hoje e professores e diretores de ensino fundamental e médio que doutrinam nossa juventude.

Agora a pergunta: por que os esquerdistas são brandos com o comunismo? A razão pela qual os esquerdistas dão um passe aos comunistas, os assassinos mais horríveis do mundo, é que eles simpatizam com o objetivo principal do comunismo: restringir a liberdade pessoal. 


Nos EUA, o apelo é para o controle do governo sobre nossas vidas por meio de regulamentações e impostos. Infelizmente, pouco importa se os democratas ou os republicanos têm o poder político. A marcha em direção a um maior controle do governo é inabalável. Isso só acontece em um ritmo mais rápido com os democratas no comando.

📙 GLOSSÁRIO:


🖥️ FONTES :
 
Com Agências

O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

  Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>