Maceió-AL

Com o título do pior atacante do Brasil , Revista alemã em 2002 advertia que Lula era o diabo do mercado de ações

Veja também

  • "Se você não gosta das perspectivas futuras do Brasil, então imagine-as com Lula", diz o economista americano David DeRosa. 
  • O guru Forex George Soros acredita que o colapso financeiro do Brasil é certo se Lula vencer.
  • em vez disso, o mercado quase caga nas calças toda vez que Lula ganha um ponto percentual em uma pesquisa eleitoral.

 
Luiz Inácio Lula Da Silva: A Bolsa de Valores do Brasil Belzebu

Luiz Inácio Lula Da Silva:Belzebu da Bolsa de Valores do Brasil

O pior atacante do Brasil 

Graças a Ronaldo, os brasileiros foram reis do mundo por alguns dias. Mas assim como um único atleta elevou o país inteiro ao céu, um único político pode agora causar o colapso econômico total.

Logo AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas
AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas

AR NEWS:  Brasil, Maceió , de 2022




Por Tom Hillenbrand
07/05/2002, 10h37

Quando os brasileiros festejam, eles dão tudo de si. Após a vitória da Copa do Mundo de domingo sobre a Alemanha, os torcedores desinibidos dançaram até a chegada de seus heróis da Seleção na terça-feira. O carnaval de inverno continuou durante o cortejo triunfal da seleção por Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, que durou até quinta-feira. O diário italiano "Corriere della Sera" resumiu o clima do Pão de Açúcar: "O Brasil é grande e Ronaldo é seu profeta".


Alguns camisas amarelas gostariam de continuar bebendo caipirinhas, mas a vitória na Copa do Mundo poderia ter sido a última grande festa do Brasil. A cada dia, o país mergulha mais fundo em uma crise financeira que pode terminar com uma demissão coletiva, a insolvência do maior estado sul-americano.


Os dados mais recentes são horríveis: o real brasileiro caiu 20% em relação ao dólar. Os títulos do governo do país estão em queda livre, pois os investidores temem uma falência nacional como a da Argentina. O acesso aos mercados financeiros globais tornou-se quase inacessível para o Brasil: como prêmio de risco, os investidores atualmente exigem uma taxa de juros 17% superior à dos títulos do governo dos EUA.


Redentor do futebol e o diabo do mercado de ações



No futebol, tudo dependia de um jogador. Ronaldo Luíz Nazario de Lima, de origem humilde, o menino da favela que não conseguia nem pagar a passagem de ônibus para o campo de esportes tão distante, deixa o país inteiro em êxtase. "Il Fenomeno" tem sido definitivamente o "Messias" ("El Pais") do Brasil desde a vitória em Yokohama, o mais tardar.

A economia do Brasil também está olhando para um homem - apenas os sinais são diferentes: um compatriota de Ronaldo está espalhando medo e terror. Estamos falando de Luíz Inácio Lula da Silva, líder trabalhista, candidato à presidência, medo do mercado de ações.

Ronaldo & Co. eram favoritos desde o início na Copa do Mundo. Assim como a Seleção, o político Lula também é claramente o número um: o homem musculoso, que todos chamam de Lula, é o favorito nas próximas eleições presidenciais de outubro - segundo pesquisas, 36% dos brasileiros querem votar nele. Seu maior adversário, José Serra, dos social-democratas governistas, obtém apenas 20%. E aí está o problema: do ponto de vista dos mercados financeiros internacionais, de cujo gotejamento o Brasil depende, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) não é um qualquer - ufa! -sindicalista. Lula é tão popular em Wall Street quanto Stefan Effenberg é no futebol.


O medo de Lula agora assumiu formas bizarras. Atualmente, os mercados são voltados para o negro do Pão de Açúcar. É compreensível que um dançarino de salão de olhos castanhos como Ronaldo possa se tornar uma obsessão pública, mas Lula? Não são os dados econômicos ou as previsões de lucros que mantêm o Real caindo para novas mínimas - em vez disso, o mercado quase caga nas calças toda vez que Lula ganha um ponto percentual em uma pesquisa eleitoral.

Recentemente, o banco de investimentos Goldman Sachs chegou a apresentar o chamado Lulameter que mostra as chances de vitória do líder trabalhista. Este modelo matemático calcula a probabilidade de os mercados cambiais verem uma vitória de Lula. Taxa atual: 47 por cento. Um barômetro político especialmente desenhado - e tudo por causa de Lula, que - para usar uma foto de futebol - nem foi substituído, mas apenas anda para cima e para baixo nas laterais.

Medo e pânico do comedor capitalista


As preocupações dos mercados não parecem totalmente infundadas: Lula disse várias vezes no passado que, após sua vitória, quer "renegociar" (leia-se: não pagar ou pagar apenas parcialmente) a dívida de US$ 280 bilhões do Brasil. Seus assessores estão considerando em voz alta uma "ruptura" com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os corretores são, na dicção de Lula, "terroristas econômicos".

O simples pensamento de que alguém assim possa se tornar presidente do maior país da América Latina traz gotas de suor à testa do mundo financeiro. "Se você não gosta das perspectivas futuras do Brasil, então imagine-as com Lula", diz o economista americano David DeRosa. O guru Forex George Soros acredita que o colapso financeiro do Brasil é certo se Lula vencer.

Um pouco mais de compostura seria útil: diferentemente da Argentina, o Brasil reformou com sucesso os setores bancário e corporativo; a inflação está em um nível razoável; o país tem um superávit orçamentário que pode ser usado para o serviço da dívida externa; o FMI recentemente mais uma vez elogiou expressamente as políticas financeiras e econômicas do Brasil.

🔵Para as últimas manchetes, siga nosso canal do Google Notícias on-line ou pelo aplicativo.  📰 aqui

No entanto, já poderia ter passado o momento em que o colapso financeiro do Brasil poderia ter sido interrompido: o país só pode cumprir suas obrigações financeiras com dificuldade. No entanto, se os mercados continuarem a retirar capital do Brasil em meio a temores de colapso, o colapso se torna cada vez mais provável - uma profecia auto-realizável. Morris Goldstein, do Institute for International Economics, em Washington, vê o risco de falência nacional até o final de 2003 em 70%.

Cenários de terror já estão circulando em Wall Street: se o Brasil cair, pode desencadear um pânico mundial nos mercados já consumistas - a "crise da tequila" de 1994/95 ainda está fresca na memória de muitas pessoas. Naquela época, o México foi o primeiro a entrar em colapso, seguido por um país latino-americano após o outro. Se, além disso, os EUA voltarem à recessão, como prevê o economista-chefe do Morgan Stanley, Stephen Roach, tudo seria possível - no sentido negativo. Antes e durante a Copa do Mundo, todo o Brasil rezou para que seu super atacante Ronaldo vencesse. Agora, dizem os especialistas financeiros, o resto do mundo deve esperar que Lula não se envolva em primeiro lugar. 

Continue a leitura após o anúncio:
Confira  Últimas Notícias 🌎



📙 GLOSSÁRIO:


🖥️ FONTES :
 https://www.spiegel.de/wirtschaft/der-markt-forscher-brasiliens-schlimmster-stuermer-a-203781.html
Com Agências

O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

  Continue a leitura no site após o anúncio:




Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>