Maceió-AL

Autoridade dos EUA promete 'resposta vigorosa' se Coreia do Norte testar bomba nuclear

AR NEWS NOTÍCIAS 
A vice-secretária de Estado dos EUA, Wendy Sherman, alertou nesta terça-feira sobre uma resposta vigorosa se a Coreia do Norte realizar seu primeiro teste nuclear em quase cinco anos, enquanto viaja para Seul para se encontrar com aliados sul-coreanos e japoneses e discutir o crescente impasse.
lançamento do míssil norte-coreano
lançamento do míssil norte-coreano


EUA  e autoridades sul-coreanas disseram que a Coreia do Norte está quase pronta para realizar outra detonação em seu campo de testes nucleares na cidade de Punggye-ri, no nordeste do país, que recebeu um último teste em setembro de 2017, quando alegou ter detonado uma bomba termonuclear projetada para seus mísseis balísticos intercontinentais.

Embora o governo Biden tenha prometido pressionar por sanções internacionais adicionais se a Coreia do Norte continuar com o teste nuclear, as perspectivas de novas medidas punitivas significativas não são claras com o Conselho de Segurança das Nações Unidas dividido sobre a guerra da Rússia contra a Ucrânia.

“Qualquer teste nuclear violaria completamente as resoluções do Conselho de Segurança da ONU. Haveria uma resposta rápida e vigorosa a tal teste”, disse Sherman, após uma reunião com o vice-ministro das Relações Exteriores da Coreia do Sul, Cho Hyun-dong.

“Continuamos a pedir a Pyongyang que cesse suas atividades desestabilizadoras e provocativas e escolha o caminho da diplomacia”, disse ela.

Sherman e Cho estão planejando uma reunião trilateral com o vice-chanceler japonês Mori Takeo na quarta-feira sobre a questão nuclear norte-coreana. A viagem de Sherman à Ásia ocorreu depois que a Coreia do Norte disparou uma salva de oito mísseis balísticos no mar no domingo, possivelmente estabelecendo um novo recorde em lançamentos de um dia, estendendo uma série provocativa em testes de armas este ano, que também incluiu as primeiras demonstrações de mísseis balísticos intercontinentais do país desde 2017.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, pode aumentar ainda mais sua atitude arriscada ao realizar o que seria o sétimo teste nuclear do país desde 2006. sobre a expansão do alcance de Kim de mísseis de combustível sólido de curto alcance que representam uma ameaça crescente para a Coreia do Sul e o Japão.

Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, disse na segunda-feira que há indicações de que uma das passagens no campo de testes de Punggye-ri foi reaberta, possivelmente em preparação para um teste nuclear.

Horas antes da reunião de Sherman em Seul, o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, disse a repórteres em Washington que os Estados Unidos continuam preocupados que a Coreia do Norte possa buscar o sétimo teste “nos próximos dias”.

A ação punitiva do governo Biden sobre os testes de armas da Coreia do Norte nos últimos meses se limitou a sanções unilaterais em grande parte simbólicas. A Rússia e a China vetaram uma resolução patrocinada pelos EUA que imporia sanções adicionais à Coreia do Norte sobre seus testes balísticos anteriores em 25 de maio.
🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui
“Pedimos aos membros da comunidade internacional, certamente membros dos cinco permanentes do Conselho de Segurança da ONU, para serem partes interessadas responsáveis ​​no Conselho de Segurança da ONU como um fórum proeminente para lidar com ameaças à paz e segurança internacionais”, disse Price.

“As ações unilaterais nunca serão a resposta mais atraente ou mesmo a mais eficaz, e esse é especialmente o caso porque estamos satisfeitos por termos aliados próximos na forma do Japão e da Coreia do Sul”, disse ele, referindo-se à Coreia do Sul. nome formal, a República da Coreia.

A mídia estatal norte-coreana ainda não comentou os lançamentos de domingo. Eles vieram depois que o porta-aviões dos EUA Ronald Reagan concluiu um exercício naval de três dias com a Coreia do Sul no Mar das Filipinas no sábado, aparentemente seu primeiro exercício conjunto envolvendo um porta-aviões desde novembro de 2017, enquanto os países avançam para atualizar seus exercícios de defesa no rosto. das ameaças norte-coreanas.

A Coreia do Norte há muito condena os exercícios militares combinados dos aliados como ensaios de invasão e muitas vezes contra-ataca com seus próprios exercícios de mísseis, incluindo lançamentos de curto alcance em 2016 e 2017 que simularam ataques nucleares a portos sul-coreanos e instalações militares dos EUA no Japão.

Após os últimos lançamentos norte-coreanos, os Estados Unidos realizaram vários exercícios conjuntos de mísseis com o Japão e a Coreia do Sul, que, segundo eles, visavam mostrar sua capacidade de resposta.

As negociações nucleares entre Washington e Pyongyang estão paralisadas desde 2019 devido a divergências na troca da liberação de sanções incapacitantes lideradas pelos EUA pelas medidas de desarmamento da Coreia do Norte.

Apesar de enfrentar duros desafios em casa, incluindo uma economia decadente e um surto de COVID-19, Kim não demonstrou vontade de entregar totalmente um arsenal que ele vê como sua mais forte garantia de sobrevivência.

Seu governo até agora rejeitou as ofertas do governo Biden para negociações abertas e está claramente com a intenção de converter as negociações latentes de desnuclearização em um processo mútuo de redução de armas, dizem especialistas.

🟢Confira  Últimas Notícias 🌎


🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem