Maceió-AL

O que é uma mutação viral ?

Os vírus podem mudar. Eles podem alterar sua composição genética. Quando essas mudanças ocorrem, o vírus pode se tornar mais ou menos uma ameaça para o hospedeiro humano. Os virologistas estão, portanto, interessados ​​em rastrear a evolução do genoma viral.
vírus sars-cov-2
vírus sars-cov-2


Quando um vírus infecta uma célula hospedeira, seu objetivo é se replicar. O processo começa com a cópia do material genético. Na célula viral, esse processo é especialmente sujeito a erros. Organismos complexos implantam mecanismos eficientes de 'leitura de prova' que permitem a replicação de alta fidelidade.

No caso do vírus SARS-CoV-2 (o vírus implicado na incidência de COVID-19), é designado uma única espécie, mas existem diferentes tipos de 'coronavírus' que podem infectar o paciente com essencialmente a mesma doença . Esses diferentes tipos de vírus são chamados de mutantes, variantes e cepas, o que leva a uma confusão conceitual. Este artigo analisa o que queremos dizer quando nos referimos a uma mutação viral.

Uma mutação viral

Uma mutação ocorre quando há uma mudança no material genético –– seja o DNA ou RNA –– da versão original normal ou de 'tipo selvagem' do genoma de um determinado organismo ou entidade biológica. A mutação pode ser totalmente nova ou pode ter ocorrido antes.

É natural que os organismos mudem e evoluam. A segregação geográfica é um mecanismo pelo qual linhagens distintas (linhagens ou variantes dependendo de qual é o termo preferido) podem surgir. Mutações no coronavírus SARS-CoV-2 não eram novidade nem inesperadas.

No SARS-CoV-2, as variantes do coronavírus preocupantes (VOC) surgiram devido a mutações que causaram alterações na proteína do pico do vírus. Esta é a parte do vírus que se liga ao hospedeiro –– neste caso, a –– célula humana.

Um mutante viral
A ambigüidade linguística ocorre quando o termo mutante é usado alternadamente com os termos cepa, variante ou subespécie. Na verdade, existem semelhanças entre esses tipos de objetos biológicos, mas também diferenças importantes, como este artigo procura demonstrar. Organismos ou entidades biológicas por meio dos quais as mutações voltam a ocorrer ou acontecem apenas raramente são chamados de mutantes. Mas esse rótulo tem uma vida útil e só é usado por um período limitado de tempo, após o qual a mutação não é mais considerada uma novidade.

Rastreando mutações virais
Desde que o vírus SARS-Cov-2 emergiu da cidade de Wuhan, ele sofreu alterações genéticas - sofreu uma mutação. Como resultado, surgiram diferentes variantes. É vital acompanhar essas mutações e as novas variantes resultantes para avaliar o risco contínuo para a saúde pública.

Nem todas as variantes são de preocupação imediata para especialistas em saúde pública. Algumas mutações podem causar alterações que não representam uma ameaça imediata em termos de aumento da patogenicidade de um organismo. Na verdade, algumas mutações podem ser deletérias para o próprio patógeno. Os especialistas, no entanto, acompanham esses vírus junto com outras variantes, pois existe um potencial para que essa situação mude quando o vírus sofrer nova mutação. As mutações virais são monitoradas por extenso sequenciamento de genomas virais isolados de pacientes em todo o mundo.
As variantes mais conhecidas do vírus surgiram na Inglaterra, Índia, Califórnia e Brasil, por exemplo. A qualquer momento, existem várias variantes e os especialistas ficam de olho em todas elas. Abaixo estão alguns dos VOC que surgiram durante a pandemia COVID-19:

Variante delta
A variante Delta (proveniente da linhagem Pango B.1.6.17.2) se originou na Índia. Ela foi renomeada como variante Delta para evitar associações negativas com localidades geográficas nas quais um novo tipo de vírus ou variante viral emerge. A cidade de Wuhan, na China, foi o recipiente dessa negatividade na consciência pública, na esteira do surgimento do coronavírus SARS-CoV-2.

A variante Delta contém mutações potencialmente importantes, como a L452R, que tem o potencial de aumentar a infectividade. Foi designado um VOC pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelos Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), considerando sua transmissibilidade aprimorada - esta forma do vírus tem o potencial de infectar o dobro de pessoas em comparação com outras variantes de SARS-CoV-2. Esta versão do vírus parece estar se movendo rapidamente e já se espalhou pelo globo. Há poucas evidências de que essa variante (ou qualquer variante nesse sentido) cause doenças mais graves em seu hospedeiro.

Continua a ser uma preocupação aguda porque seu potencial aumentado para infectar mais pessoas levará a um maior número de mortes em uma população não vacinada. Mesmo no caso da vacinação, esse risco não é eliminado. Em setembro de 2021, a variante Delta foi designada a forma mais contagiosa do coronavírus SARS-CoV-2 visto até agora.

Variante alfa (B. 1. 1. 7)
A variante Alpha foi detectada pela primeira vez na cidade de Kent, no Reino Unido, e desde então se espalhou por mais de 50 países em todo o mundo.

Variante beta (B. 1. 351)
A variante Beta foi detectada pela primeira vez na África do Sul e, desde então, foi vista em 20 outros países.

Variante gama (P. 1)
A variante Gama foi vista pela primeira vez no Brasil antes de ser identificada em mais 10 países.

As variantes Alfa, Gama e Beta compartilham a mesma mutação –– o N501Y –– associada a uma capacidade aprimorada para o vírus infectar células e se espalhar. Outra mutação ––E484K –– foi detectada principalmente nas variantes Beta e Gama, embora sua presença tenha sido encontrada em alguns casos Alfa. Essa mutação pode ajudar o vírus a escapar do sistema imunológico do corpo.

As mutações são uma parte natural da evolução viral. As mudanças são inevitáveis ​​e nenhum programa de tratamento ou vacinação pode oferecer uma solução infalível para evitar vírus como o SARS-CoV-2. Nem todas as alterações são benéficas para o vírus. No caso daqueles que realmente aumentam a patogenicidade, o melhor que podemos fazer é ficar de olho neles e alterar nossa resposta médica em simultâneo.


Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem