Maceió-AL

UE criará uma agência para orientar a sua resposta a futuras pandemias

Veja também

A União Europeia anunciou na quarta-feira a criação de uma nova autoridade biomédica destinada a responder melhor a futuras pandemias, na medida em que busca evitar a repetição dos erros que afetaram sua resposta inicial ao coronavírus. 

corona
coronavírus


Ursula von der Leyen, a presidente da Comissão Europeia, braço executivo do bloco, também se comprometeu a doar 200 milhões de doses extras da vacina contra o coronavírus para países de renda média e baixa até meados de 2022, além dos 250 milhões já prometidos ao final Do ano.  

Em seu discurso anual sobre o estado da união, a Sra. Von der Leyen descreveu as discrepâncias de vacinação como uma das maiores questões geopolíticas que as nações enfrentam.  

“A escala da injustiça e o nível de urgência são óbvios”, disse von der Leyen em frente aos legisladores do Parlamento Europeu em Estrasburgo, no leste da França. Os países membros da UE doaram apenas 18 milhões de doses até o início de setembro, uma fração dos 200 milhões prometidos.  
Embora a maioria dos países em desenvolvimento ainda não tenha administrado uma única dose da vacina contra o coronavírus, inclusive na vizinhança imediata da União Europeia, mais de 70% dos adultos em todo o bloco foram totalmente vacinados. Von der Leyen disse que isso coloca o bloco entre os líderes mundiais em vacinação.  

“Nós entregamos”, disse ela, embora admitisse que o bloco enfrentou grandes discrepâncias internamente, já que vários países do Leste Europeu estão ficando para trás.  

O tom confiante de von der Leyen na quarta-feira contrastou fortemente com seu discurso no ano passado, quando novos casos de Covid-19 estavam surgindo em todo o bloco e as vacinas contra o coronavírus estavam a alguns meses de distância.  
“Quando estive aqui na sua frente há um ano, não sabia quando e se poderíamos ter uma vacina segura e eficaz contra a pandemia”, disse ela.  
A Comissão Europeia, que negociou vacinas em nome dos países membros, foi duramente criticada pelo lento início de seu programa de vacinação. A comissão assinou seu primeiro acordo em nome das nações membros meses depois dos Estados Unidos, dificultando a entrega de vacinas e, posteriormente, as campanhas de vacinação.  
Mesmo assim, o lançamento ganhou velocidade nos últimos meses, e muitos países da UE já ultrapassaram outras nações ricas, como a Grã-Bretanha, Israel e os Estados Unidos, e começaram a administrar tiros de reforço a milhões de residentes mais velhos e vulneráveis.  
Na quarta-feira, a Sra. Von der Leyen disse que a nova agência, conhecida como Autoridade de Preparação e Resposta a Emergências de Saúde , ou HERA, teria como objetivo "garantir que nenhum vírus tornará uma epidemia local novamente em uma pandemia global".  
A nova autoridade deve se tornar o equivalente europeu da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Biomédico Avançado dos Estados Unidos, ou BARDA, a agência federal de saúde que se concentra no desenvolvimento de vacinas e preparação para pandemias.  
Prevê-se que ele receba 50 bilhões de euros (cerca de US $ 59 bilhões) em financiamento até 2027 e funcionará junto com as agências de saúde existentes da UE, o Centro Europeu de Controle de Doenças e a Agência Europeia de Medicamentos.

Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>