{ads}

Chile observa aumento gradual de casos do coronavírus Sars-Cov-2

Leia outros artigos :

teste covid


As autoridades de Saúde do Chile observaram cuidadosamente o aumento gradual nos casos de Covid-19, um fenômeno que surgiu quase dois meses após o término do alerta sanitário que persistiu por mais de três anos devido à propagação do coronavírus. O aumento nas infecções instigou a retomada da campanha de vacinação, que havia sido temporariamente interrompida por quase um ano após milhões de pessoas terem recebido pelo menos cinco doses. Durante a pandemia, o Chile foi um dos primeiros países sul-americanos a garantir vacinas para grande parte de sua população. Em 2022, os cidadãos maiores de 18 anos receberam pelo menos duas doses de reforço, restando apenas a aplicação da fórmula bivalente, que oferece proteção contra a variante o micron, agora predominante globalmente devido à sua alta taxa de transmissão. A partir de 2023, com o fim do estado de emergência, a intensidade do processo de inoculação diminuiu.

As estatísticas de contágio por Covid-19 no Chile, desde o ano de 2023, distanciam-se dos piores dias da pandemia, quando o número de infecções diárias chegou a atingir 10 mil casos. Durante os meses de verão e outono, os números permaneceram relativamente baixos, contrastando com o surto explosivo do vírus sincicial que afetou uma grande parte do território em maio. No entanto, essa estabilidade foi interrompida durante o segundo semestre, especialmente entre 25 de agosto e 2 de setembro, quando foram registrados 614 casos confirmados, representando um aumento de 28,5% em relação à semana anterior.

Nas semanas subsequentes, os números continuaram a aumentar constantemente. Entre 24 de setembro e 30 de setembro, foram registrados 1.421 casos confirmados, um aumento de 66% em relação à semana anterior. Em outubro, entre os dias 8 e 14, foram confirmados 2.083 novos casos, marcando um aumento de 15,5%, com um acréscimo diário de 298 casos.

O Chile iniciou o alerta sanitário devido à Covid-19 em 31 de agosto, encerrando a obrigatoriedade do uso de máscaras em estabelecimentos de saúde, como hospitais, clínicas e consultórios. Contudo, o recente aumento nos casos fez com que algumas instituições retomassem essa medida, como o Hospital Van Buren na cidade de Valparaíso, situada a 120 quilômetros de Santiago do Chile, que reintroduziu o uso de máscaras para pacientes e usuários.

O aumento dos casos de coronavírus levou o governo de esquerda do presidente Gabriel Boric a reativar a campanha de vacinação com a fórmula bivalente. Uma das principais preocupações do Ministério da Saúde (Minsal) é que parte da população passará mais de um ano sem receber um reforço, o que poderá diminuir sua proteção contra o vírus. Isso inclui uma pequena parcela da população que nunca recebeu nenhuma dose.

A vacinação contra a Covid-19 no Chile é voluntária e é fornecida pelo Estado. Na retomada da campanha, os mais vulneráveis serão priorizados, incluindo trabalhadores da saúde, pessoas imunocomprometidas e maiores de 80 anos que tenham passado 12 meses desde a vacinação bivalente. Os interessados no processo de inoculação podem encontrar informações sobre a localização dos pontos de vacinação no site oficial "Me Vacuno".


AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:

🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.