{ads}

Gal Hirsch: “ Nunca esqueceremos as nações que não nos apoiaram após as atrocidades do Hamas "

Leia outros artigos :

Gal Hirsch, em seu papel designado pelo Primeiro Ministro para garantir o retorno dos sequestrados, convocou uma reunião de embaixadores estrangeiros e enfatizou que as nações que não apoiaram Israel após as atrocidades cometidas pelo Hamas jamais serão esquecidas.
Tenente-coronel Gal Hirsch


No discurso incisivo proferido pelo tenente-coronel Gal Hirsch, figura central nos casos de sequestros e desaparecimentos, uma retórica de extrema severidade marcou seu encontro com 100 embaixadores e diplomatas estrangeiros na semana passada. Hirsch, em um briefing direcionado aos embaixadores, elevou o tom de voz e fez ressoar sua voz ao bater fortemente no pódio. Seu discurso repreendeu vigorosamente os representantes dos países estrangeiros, criticando a comunidade internacional por, segundo ele, "pressionar Israel a firmar os Acordos de Oslo e retirar-se da Faixa de Gaza".

A atmosfera na reunião era tensa; os embaixadores presentes relataram que Hirsch expressava sua indignação de maneira veemente. Sentiram-se envergonhados com a intensidade do tom repreensivo e notaram que grande parte das palavras do tenente-coronel constituía uma preleção moral e uma lição de história, em vez de declarações concretas sobre estratégias para libertar os sequestrados. Outros embaixadores lamentaram que Hirsch tenha se concentrado excessivamente no passado, ao invés de buscar uma reconciliação com seus próprios países, que agora estão ao lado de Israel em um momento tão difícil e desejam oferecer auxílio.

No início da reunião, os embaixadores foram confrontados com dois vídeos que documentavam os massacres perpetrados pelo Hamas em Otef. A reação foi palpável: choque estampado em seus rostos, olhos se cerraram e lágrimas foram derramadas por alguns. Foi nesse clima de tensão que Hirsch prosseguiu com seus comentários.

"Durante anos, lutamos arduamente por nossa independência, enquanto seus governos nos criticavam", proclamou Hirsch, sua voz ecoando na sala. "Fomos rotulados como paranoicos, agressivos e impulsivos ao confrontar esse grupo de criminosos, assassinos, sequestradores. Nazistas, ISIS com um novo nome, Hamas", continuou, enfatizando a gravidade da situação.

Ele recordou os esforços persistentes de Israel em buscar acordos de paz ao longo dos anos, apesar dos obstáculos. "Mesmo depois de testemunhar palestinos de várias partes do mundo chegarem armados a Gaza, a Jericó e, posteriormente, a sete cidades na Judéia e Samaria, decidimos tentar. Lutamos, perdemos camaradas de armas e testemunhamos o horror da guerra", disse Hirsch. "Mas, infelizmente, a memória humana é volúvel. Israel concordou em assinar um acordo de paz com os palestinos após anos de terror. No entanto, a Autoridade Palestina declarou guerra contra nós. Enfrentamos a segunda intifada, com assassinatos em ataques suicidas no coração de Israel, e fomos compelidos a lançar a Operação Muro Protetor. Ônibus, shoppings e lojas transformaram-se em campos de batalha. Tivemos que nos defender, enquanto seus governos nos criticavam."

Hirsch enfatizou a luta contínua de Israel para manter uma relação razoável com Gaza, mesmo quando confrontado com hostilidades. "Nós, como um país democrático e judeu, buscamos criar uma conexão normal com Gaza. Permitimos que milhares de trabalhadores de Gaza viessem trabalhar em Israel, enquanto, paradoxalmente, foguetes eram lançados de Gaza em direção às nossas casas. A ironia dessa situação não pode ser ignorada. Enquanto eles nos atacam, ainda fornecemos eletricidade e água para eles. Isso é parte da pressão que Israel tem suportado ao longo dos anos", ressaltou ele, batendo enfaticamente no pódio.

O discurso de Hirsch então assumiu um tom mais sombrio quando ele abordou as atrocidades cometidas pelo Hamas, incluindo assassinatos e sequestros brutais, inclusive de crianças indefesas. "Pensem no que vocês veem ao almoçar, ao abraçar seus filhos antes de dormir. Agora imaginem esse vínculo interrompido brutalmente. É isso que enfrentamos", declarou ele, sua voz vibrante com emoção.

Hirsch também discutiu a operação em andamento das Forças de Defesa de Israel (FDI) para lidar com a ameaça do Hamas. "As FDI não estão aqui para serem agressivas ou ofensivas, mas seremos incisivos em proteger Israel. Cada vez que vocês tentam nos pressionar, cada vez que nos visitam com demandas irrealistas, o terror encontra brechas em nossa fortaleza. Eles tiram nossos filhos das camas e os massacraram, ou os sequestram por resgates. Se vocês quiserem exemplos, eles existem: Bali, Bataclan, Madrid, Londres, Manhattan, o Pentágono. Já enfrentei o terrorismo por anos, mas nunca vimos um ataque como este. É como se tivéssemos perdido 55 mil cidadãos de uma só vez. É uma magnitude que desafia a compreensão", afirmou Hirsch, sua voz ecoando no recinto.

Hirsch concluiu seu discurso, focando nas ações que esperava dos embaixadores. "Temos a missão de trazer de volta os reféns, e cada um de vocês tem um papel a desempenhar. Condenem. Pressionem não apenas o Hamas, mas também os países que o apoiam e dão abrigo aos seus membros. Exijam sua expulsão imediata. Precisamos de ajuda em várias frentes para encontrar uma maneira de trazer nossos compatriotas de volta para casa. Não nos peçam ajuda humanitária se eles não forem devolvidos imediatamente. O tempo é curto, pois estamos prestes a tomar medidas drásticas. Peço-lhes que nos auxiliem a trazer nossos cidadãos de volta", concluiu ele, seu apelo ecoando no silêncio da sala.
AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:
Gal Hirsch, um comandante exímio e autor prolífico. Nascido nas efervescências de 1964, Hirsch deixou uma marca indelével nas Forças de Defesa de Israel (IDF), trilhando um caminho adornado com bravura e complexidade.

Com a estrela de Brigadeiro-General a adornar seu uniforme, Hirsch liderou a 91ª Divisão das IDF durante o turbulento capítulo da Guerra do Líbano em 2006. Sua trajetória militar foi entrelaçada com coragem e, por vezes, com desafios intrincados. Como um paraquedista destemido na Brigada de Paraquedistas, ele elevou-se às fileiras da Unidade Shaldag, tornando-se o comandante supremo desta unidade durante operações especiais no Líbano. Foi uma era marcada por estratégias intricadas e ação implacável.

Sob a égide do primeiro-ministro Netanyahu, ele foi incumbido de coordenar a resposta intergovernamental aos cidadãos israelenses desaparecidos. Uma responsabilidade monumental em tempos de caos.

Além do campo de batalha, Hirsch deixou sua marca nas esferas acadêmicas e cívicas. Em maio de 2022, ele ocupava uma posição sênior no prestigiado Instituto Internacional de Contra-Terrorismo. Seu mérito nas IDF e na vida civil foi honrado em janeiro de 2017, quando recebeu o Prêmio de Pós-Graduação Exemplar da Associação de Internatos Militares. Em um gesto altruísta, em abril de 2020, Hirsch ofereceu-se para liderar a luta contra a pandemia de COVID-19 na cidade de Elad, uma demonstração de seu compromisso inabalável com o bem-estar público.

Além de suas façanhas no campo de batalha e de suas contribuições notáveis para a sociedade, Hirsch também é um autor talentoso. Sob seu nome, repousam volumes que ecoam sua experiência e sabedoria. "História de Guerra, História de Amor", um trabalho imbuído de profundidade, foi publicado em 2009. Em 2016, ele presenteou o mundo com a "Escudo Defensivo", uma edição revisada em inglês que traça os contornos da defesa em meio ao caos. Em 2020, seu livro "Siga-me" viu a luz do dia, uma obra que guia os leitores por caminhos intricados da liderança e da resiliência.

Gal Hirsch, um nome que ressoa com bravura e sabedoria, continua a ser uma figura em constante evolução na paisagem complexa de Israel. Seu legado é entrelaçado com triunfos, desafios e uma determinação inabalável, refletindo a perplexidade do cenário em que floresceu e a explosividade de uma carreira que oscilou entre altos e baixos, entre momentos de glória e adversidades desafiadoras.
🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.