{ads}

Detalhes sombrios da missão suicida do Hamas em Israel emergem em entrevista impactante

Leia outros artigos :

Um terrorista do Hamas em frente ao sistema de túneis
  •  Terroristas do Hamas foram instruídos pelos comandantes a decapitar israelenses e cortar seus pés em 7 de outubro, de acordo com um vídeo de interrogatório israelense obtido e revisado pela Fox News.
  • Um militante na casa dos 20 anos também descreve como o Hamas usou o Telegram para compartilhar vídeos em tempo real enquanto conduzia o massacre.
  • Este militante diz que o seu comandante, um homem da Cidade de Gaza, lhes disse que não deveriam esperar regressar. Omitimos alguns detalhes incrivelmente gráficos sobre o que o Hamas fez aos corpos das mulheres que massacrou. Eles são perturbadores demais para serem explicados na TV

Um membro capturado do Hamas, organização considerada terrorista, admitiu terem descido a um nível de barbárie inimaginável durante sua sanguinária incursão ao sul de Israel em 7 de outubro, como revelado em um vídeo de interrogatório israelense obtido e revisado pela Fox News. As ordens dadas a esses militantes pelos comandantes do Hamas eram tão chocantes quanto perturbadoras.
Sangue é deixado no chão após ataque do Hamas


Segundo o terrorista do Hamas, cuja identidade permanece oculta, eles foram instruídos a decapitar civis durante o ataque. O interrogatório revelou detalhes arrepiantes sobre como o Hamas utilizou o aplicativo Telegram para compartilhar vídeos em tempo real enquanto perpetravam esses massacres.

O membro terrorista do Hamas, um jovem na casa dos vinte anos, foi capturado nas proximidades de Alumim, um pequeno kibutz situado na fronteira com Gaza. No vídeo, ele está sentado diante de um interrogador israelense, vestindo um macacão de pano branco, enquanto responde a perguntas sobre a invasão de 7 de outubro. Ele descreveu as instruções específicas que receberam dos comandantes do Hamas antes da incursão, revelando planos meticulosamente coordenados para invadir Israel e semear o terror entre os civis.

O combatente do Izz al-Din al-Qassam também admitiu terem compartilhado vídeos no canal Telegram do Hamas, mostrando os assassinatos brutais de israelenses em suas próprias residências. Ele mencionou que, de acordo com os princípios da religião islâmica, era estritamente proibido matar mulheres, crianças ou idosos. No entanto, os comandantes do Hamas ordenaram que os combatentes agissem sem qualquer restrição moral, fazendo "tudo o que lhes apetecesse fazer".

O militante acrescentou que receberam instruções para encarar a operação como uma "missão suicida" da qual não esperavam retornar. Foram instigados a "pisar nas cabeças dos civis", decapitando-os e cometendo atos de extrema violência. Os detalhes adicionais fornecidos por ele sobre os horrores infligidos aos civis são demasiadamente explícitos para serem compartilhados aqui.

Desde o ataque do Hamas há duas semanas, mais de 1.400 israelenses perderam suas vidas, e milhares ficaram gravemente feridos, deixando uma nação em luto e um mundo atônito com a brutalidade desses atos.
AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:

🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.