{ads}

Sacerdotes ortodoxos russos enfrentam retaliação por manifestações de paz na ucrânia

Leia outros artigos :

Sacerdotes da Igreja Ortodoxa Russa estão enfrentando perseguição por parte da própria instituição religiosa devido a seus apelos por paz na Ucrânia, mesmo enquanto o conflito em Moscou perdura.

Igreja ortodoxa russa enfrenta controvérsia por punir sacerdotes pró-paz na ucrânia

De acordo com Natallia Vasilevich, coordenadora do grupo de direitos humanos Cristãos Contra a Guerra, pelo menos 30 padres ortodoxos estão sendo pressionados por autoridades religiosas ou estatais por se manifestarem contra a guerra. Ela também sugere que pode haver mais casos não reportados, pois alguns padres temem represálias adicionais caso discutam as consequências de suas posições.

Padres ortodoxos russos sob pressão por apelos de paz durante conflito em moscou

Um dos sacerdotes, o reverendo Ioann Koval, foi destituído de seu posto depois de orar pela paz na Ucrânia, seguindo as ordens do líder da Igreja Ortodoxa Russa, o Patriarca de Moscou Kirill, que exigiu que todos os clérigos orassem pela vitória em setembro passado.

O reverendo Ioann Koval foi destituído depois de trocar a palavra “vitória” por “paz” em uma oração pela Ucrânia.



Koval afirmou que perdeu seu papel sacerdotal por substituir uma palavra em sua oração – ele usou "paz" em vez de "vitória". Ele alegou que a inclusão da palavra "vitória" transformou a oração em uma ferramenta propagandística para manipular o pensamento dos paroquianos e do clero sobre o conflito, o que ele considerou contrário à sua consciência. Ele recusou a pressão política da hierarquia da igreja.

Além disso, orar pela paz na Ucrânia também traz implicações legais, uma vez que legislação foi aprovada após a invasão russa em fevereiro de 2022, permitindo que indivíduos sejam processados por "desacreditar o exército russo". Essa acusação tem sido amplamente usada para punir discursos que vão contra a narrativa oficial do governo russo.

Enquanto o presidente Vladimir Putin estabeleceu um regime cada vez mais autoritário durante o conflito, Kirill adotou medidas semelhantes dentro da Igreja Ortodoxa. Segundo Andrew Desnitsky, professor de filologia na Universidade de Vilnius, Lituânia, "se você não é leal, não há lugar para você na igreja". Ele argumenta que a igreja, por sua vez, alega que as repercussões enfrentadas pelos sacerdotes que se pronunciam contra a guerra são consequências de seu suposto envolvimento político.

Vakhtang Kipshidze, vice-chefe do serviço de imprensa da igreja, afirmou que o clero que se envolve em atividades políticas deixa de cumprir suas funções pastorais e se sujeita a punições canônicas.



AR News


Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎


Siga-nos





📙 GLOSSÁRIO:


🖥️ FONTES :
Com Agências :


NOTA:

O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.

🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️




Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.