Maceió-AL

Número de mortos por surto de ebola em Uganda chega a 29, diz OMS

Veja também

ARQUIVO - Uma vítima de ebola é enterrada no cemitério muçulmano em Beni, no Congo, em 14 de julho de 2019.
ARQUIVO - Uma vítima de ebola é enterrada no cemitério muçulmano em Beni, no Congo, em 14 de julho de 2019. 
Logo AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas
AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas





Sessenta e três casos confirmados e prováveis ​​foram relatados no surto de ebola em Uganda, incluindo 29 mortes, informou a Organização Mundial da Saúde na quarta-feira.

O chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que as vacinas usadas para conter surtos recentes na vizinha República Democrática do Congo não foram eficazes contra o tipo de vírus Ebola que circula em Uganda.

E ele disse que o surto de Uganda estava afetando os profissionais de saúde.

"Até agora, 63 casos confirmados e prováveis ​​foram relatados, incluindo 29 mortes", disse Tedros em entrevista coletiva em Genebra.

"Dez profissionais de saúde foram infectados e quatro morreram. Quatro pessoas se recuperaram e estão recebendo cuidados de acompanhamento".

Ele disse que a OMS está apoiando o governo de Uganda em sua resposta ao surto, que foi relatado em quatro distritos.

A agência de saúde da ONU liberou US$ 2 milhões de seu fundo de contingência para emergências e está trabalhando com parceiros para apoiar o Ministério da Saúde enviando especialistas, suprimentos e recursos adicionais, disse Tedros.

“Quando há um atraso na detecção de um surto de Ebola, é normal que os casos aumentem constantemente no início e depois diminuam à medida que intervenções que salvam vidas e medidas de controle de surtos são implementadas”, disse ele.

"As vacinas usadas com sucesso para conter os recentes surtos de Ebola na República Democrática do Congo não são eficazes contra o tipo de vírus Ebola responsável por esse surto em Uganda.

“No entanto, várias vacinas estão em vários estágios de desenvolvimento contra esse vírus, duas das quais podem iniciar ensaios clínicos em Uganda nas próximas semanas, aguardando aprovações regulatórias e éticas do governo de Uganda”.

🔵Para as últimas manchetes, siga nosso canal do Google Notícias on-line ou pelo aplicativo.  📰 aqui

Desde que o surto inicial foi descoberto no distrito central de Mubende, infecções foram encontradas em Kassanda, Kyegegwa e Kagadi.

A agência de saúde da ONU liberou US$ 2 milhões de seu fundo de contingência para emergências e está trabalhando com parceiros para apoiar o Ministério da Saúde enviando especialistas, suprimentos e recursos adicionais, disse Tedros.

O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, prometeu não impor bloqueios para combater a doença, dizendo na semana passada que “não havia necessidade de ansiedade”.

Uganda confirmou 10 mortes, com Museveni especificando que 19 outros prováveis ​​casos de Ebola também morreram, mas disse que foram enterrados antes que pudessem ser testados para infecção.

– Febre hemorrágica – O Ebola é uma febre hemorrágica viral muitas vezes fatal com o nome de um rio na RDC, onde foi descoberto em 1976.

A transmissão humana é através de fluidos corporais, sendo os principais sintomas febre, vômitos, sangramento e diarreia.

Os surtos são difíceis de conter, especialmente em ambientes urbanos.

As pessoas infectadas não se tornam contagiosas até que os sintomas apareçam, o que ocorre após um período de incubação entre dois e 21 dias.

Atualmente, não há medicamentos licenciados para prevenir ou tratar o Ebola, embora uma série de medicamentos experimentais esteja em desenvolvimento.

Uganda, que compartilha uma fronteira porosa com a RDC, passou por vários surtos de ebola, mais recentemente em 2019, quando pelo menos cinco pessoas morreram.

A RDC declarou na semana passada o fim de um surto de vírus Ebola que surgiu no leste da província de Kivu do Norte há seis semanas.

A pior epidemia, na África Ocidental entre 2013 e 2016, matou mais de 11.300 pessoas. A RDC teve mais de uma dúzia de epidemias, a mais mortal matando 2.280 pessoas em 2020.

Continue a leitura após o anúncio:
Confira  Últimas Notícias 🌎



📙 GLOSSÁRIO:


🖥️ FONTES :
 
Com Agências

O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

  Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>