Maceió-AL

A real história que vivi no HGE - AL entre 2007 e 2013 - Breve Dossiê da saúde Alagoana

Veja também

Ao avaliar o HGE de Alagoas , é essencial ter uma visão menos política e mais direcionada ao bem-estar de todos

Capa da Revista do SINMED de Alagoas em 2009 - Presidente a época Dr. Wellington Galvão

Capa da Revista do SINMED de Alagoas em 2009 - Presidente a época Dr. Wellington Galvão


Se queres prever o futuro, estuda o passado. Confúcio



Problemas que vão e vêm há décadas no HGE de Alagoas



Já havia escrito anteriormente sobre esse tema, e ratifico o que já foi discorrido: Não gosto de política partidária, mas de política como ciência do governo e dos povos, direcionada a governabilidade com toda sua organização esperada em um estado democrático. 

Quando culparam a gestão do HGE, a época do Secretário da Saúde de Alagoas Alexandre Ayres e em tela o Governador Renan Filho pelas mazelas existentes na saúde Alagoana,em especial, aos problemas encontrados no Hospital Geral do Estado, foi com toda certeza  uma avaliação injusta, a margem da coerência, e sem respaldo em nenhuma lógica vigente.

O que se fala hoje,se comentava há mais de 15 anos !

Os problemas existentes na saúde, que hoje estão presentes nos noticiários, já se falavam e existiam há mais de 15 anos. Se todos os governantes que passaram por esse estado nesse intervalo de tempo tivessem realizado pelo menos 1% das obras que o  Governador Renan Filho executou principalmente na saúde, com certeza não seriam histórias reais e macabras, mas de um passado que foi ofertado ao povo Alagoano. Ademais é querer resolutividade intempestiva de algo que criticam falaciosamente , porém nada fizeram para saná-las , sendo por assim dizer os parlapatões e reais artífices das mazelas decantadas .

Não pretendo com isso criar uma regra de exceção ante o quadro na saúde de Alagoas, mas sim, pautar uma opinião dentro da verdade e da ética.

Por hoje é só !
Maceió 07 de maio de 2021
Mário Augusto

Obs: escrito em 07 de  maio de 2021


Volta ao passado da UEAL(Unidade de Emergência Armando Lages), atual Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE)


Período de maior caos sob a direção do tucanato do PSDB
Período de maior caos sob a direção do tucanato do PSDB


No dia 24 de dezembro de 2007, realizei uma postagem após sair de um plantão na antiga UEAL,hoje HGE onde relatava :

  • Nos corredores da COEMAL ( UEAL), vivenciamos a falta de observância a algumas normas jurídicas deste país ,como é de conhecimento público , e tão bem documentado pela nossa  Imprensa Alagoana.
  • Há uma ferida manchando de vermelho a nossa carta magna.como um punhal cravado em nosso peito
  • Alagoas parece um estado sem direito , onde todos, principalmente os idosos, não têm seu estatuto respeitado,e são internados em cadeiras, macas frias , duras por dias, a espera de uma cama "macia" para pensar suas feridas.
  • Há fartura em Faltar  medicamentos,cuidados sanitários, e como se não bastasse ,o solo caeté é fértil em olvidar o que há de mais sagrado e magno no País : A Constituição Federal, a mãe de todas as normas jurídicas.Até quando os governantes irão "padecer" desta Amnésia Voluntária ?
  • Triste Alagoas, terra onde há privação contumaz de Cidadania !


Em 13 de janeiro de 2008,com o título : A procissão das Ambulâncias,faço uma pequena crônica sobre o sentido religioso da palavra procissão, e a metáfora utilizada para mostrar o deslocamento de pacientes vindos de todos os municípios de Alagoas para o antigo Hospital de Pronto Socorro (UEAL),hoje HGE.


  • Hoje no entanto procissão,adquiriu um outro sentido , não de alegria e comunhão , e sim de dor, sofrimento, angústia, martírio e incertezas quando em ritmo frenético ambulâncias ,chegam a UEAL(COEMAL) provenientes de vários rincões das Alagoas esquecida de saúde,sempre com suas sirenes a soar uma triste melodia para aqueles, que igual ao cristo, estão em seu calvário.

No dia 17 de janeiro de 2008

mordedura no hálux provocada por rato
mordedura no hálux provocada por rato

mordedura no hálux provocada por rato
mordedura por rato


Obs: O incidente com a funcionária realmente aconteceu,na Unidade de Emergência Armando Lages, um rato mordeu o seu hálux ( dedo maior do pé) e seu calcanhar, quando a mesma repousava no chão.Maceió -Al, janeiro de 2008


Em 13 de fevereiro de 2008, com o Título : A fila de espera 

Hoje , só não devemos aceitar, a fila de espera para obtermos uma vaga em uma cama hospitalar ,para sairmos do chão,da cadeira, ou de uma maca fria e rígida.Só não devemos esperar na fila para uma vaga em UTI, já que a saúde é direito de todos e dever do Estado. Só não devemos esperar , nós médicos sermos DEUS, para escolher quem vai sobreviver ou morrer em função da falta de medicamentos, respiradores, laringoscópios,leitos no ambiente hospitalar.


Em 15 de abril de 2008 : A amaurose voluntária

Aprender a dizer não quando todas as saídas dizem sim. Aprender a dizer sim quando todas os caminhos levam ao não. Sim pela dignidade, pelo respeito, por ser ético e pela vida. Não a omissão,a mentira,e o não principalmente ,a morte que hoje é a estrela principal, o grandioso sim , de alguns "cegos" desse Estado que fazem da mesma , patamar de enriquecimento,criadouro de projetos mirabolantes, um gigantesco comércio sórdido que em breve será banido pelos homens do bem que adotaram as terras das Alagoas.

Leito chão abril de 2008- UEAL,hoje HGE
Leito chão abril de 2008- UEAL,hoje HGE

No dia 06 de julho de 2008, republiquei a notícia veiculada em 2007, pelo Ministério Público de Alagoas , ou seja após um ano!


  • "De acordo com os promotores de Justiça, Micheline Tenório e Ubirajara Ramos (Saúde); Cecília Carnaúba (Fazenda Pública Estadual); o relatórios da Vigilância e da fiscalização realizada pelo Conselho Regional de Medicina, juntamente com o MP, vão servir de base para instauração do inquérito civil público. “Não se trata, portanto, apenas de problemas de superlotação, mas de má gestão administrativa também”, enfatizaram os promotores de Justiça. "
Em 01 de maio de 2008, : Há relação entre a escola de Medicina e a construção do Direito à Saúde em Alagoas ?, título da aula inaugural do Curso de Medicina da Famed,proferida pelo Dr. Everaldo Patriota, o qual utilizou como fonte o Blog .

CONFIRA O VÍDEO : Aula na FAMED





  • É preciso educação como ponto primordial para a formação de uma cultura de cidadania.Enquanto esse país e principalmente o nordeste viver o apagão do conhecimento nada vai mudar nos milênios de nossa história.
Vídeo : A Cidadania sem Direitos

Termino com essa frase em 2008, a qual é tão conhecida hoje em dia ! Conhecereis a verdade,e a verdade vos libertará João 8:32


Em 18 de agosto de 2008 ,republiquei a notícia veiculada no site do MP de Alagoas em 11 de junho de 2007 , quase 1 ano e 2 meses após o acordo que foi tão esperado: MP e Defensoria garantem acordo para desafogar Unidade de Emergência)

"Um acordo assinado hoje pela manhã, na sede da Defensoria Pública, pelos secretários de Saúde do Estado e do Município de Maceió, André Valente e Théo Fortes, garantiu a oferta de 240 leitos por mês para o atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A medida visa desafogar a Unidade de Emergência Armando Lages, que vem sofrendo constantes problemas de superlotação."(Notícia original no site do Ministério Público de Alagoas em 11 de junho de 2007)

Infelizmente a realidade foi bem diferente do acordo firmado.Prosperava na Instituição Unidade de Emergência Armando Lages o mesmo caos de mais de um ano atrás sem nada ter mudado.Abaixo fotos do Plantão em 17/08/2008

leito corredor em 17 de agosto de 2008
leito corredor em 17 de agosto de 2008



ESCREVI A ÉPOCA:


  • Lendo a reportagem da Gazeta de Alagoas "Saúde na Frente" quando o Secretário da Saúde de Alagoas ligou para o Governador Teotônio Vilela e proferiu as palavras "Agora ou vai ou Racha" me causou espanto por presenciar no plantão de 22 de outubro de 2008 no "novo " Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE) a Utilização de macas sucateadas da Unidade de Emergência Armando Lages, móveis apoiados por pedaços de madeira e sem puxadores, Tensiômetros quebrados ,cadeiras ,bancos, carro de Parada Cárdio Respiratória impregnado por ferrugem,Aparelho de Desfibrilação com defeito( Utilizado na PCR), etc.Foi difícil acreditar no que via,e por ter conhecimento por meio do site Alagoas 24 Horas que foram gastos 24,9 milhões de reais para a realização da monumental obra e cartão postal do Governo de Alagoas ,que com certeza, não incluía no seu projeto o aparelhamento hospitalar com sobras sucateadas de outros hospitais.Realmente dessa maneira "Agora ou vai ou Racha", havendo 99,9% de chances para rachar com o aparelhamento" preconizado"!
monitor
Monitor da UEAL no novo HGE

Escrivania proveniente da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages,no consultório 2, na área Azul do "novo"Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE)
Escrivania proveniente da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages,no consultório 2, na área Azul do "novo"Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE)

No dia 06 de novembro de 2008 recebi um e-mail do colega Dr. José Roberto,relatando as condições insalubres encontradas no novo e recém inaugurado HGE no governo de Teo Villela ( O Dr. José Roberto,médico do Hospital Geral do Estado de Alagoas, enviou também ao Conselho Regional de Medicina de Alagoas e ao Sindicato dos Médicos-Al.)

Hospital Geral do Estado de Alagoas (O  Desabafo de um Médico) . A face oculta  da real Saúde ofertada ao Cidadão Alagoano

  • "O HGE teve morte prematura antes de completar um mês de vida.
  • O “Mega-projeto” não preenche os requisitos que deveriam ser exigidos e aprovados após criterioso estudo de suas verdadeiras dimensões.
  • Diante desse quadro, o seu corpo apresenta sérias deformidades e nos parece que ficou principalmente acéfalo.
  • É uma beleza de unhas maliciosas não só pela perversidade escondida, mas principalmente pela maneira descompromissada em se conduzir o sistema de saúde.
  • Que os erros sejam corrigidos a tempo, antes que muitas vidas sejam ceifadas"

Plantão de 05 de novembro de 2008, no "novo"Hospital Geral do Estado de Alagoas

Sabão Líquido no novo modelo de suporte: Colocado em garrafa de água mineral.Local o consultório 1 da área azul no "novo"Hospital Geral do Estado de Alagoas.O Papel toalha é luxo,portanto temos que utilizar folhas de bloco de receitas médicas.

Sabão Líquido no novo modelo de suporte
Sabão Líquido no novo modelo de suporte

Maca proveniente da Unidade de Emergência Armando Lages: Local atual , é o consultório 2 do "novo'Hospital Geral do Estado de Alagoas

Maca proveniente da Unidade de Emergência Armando Lages:
Maca proveniente da Unidade de Emergência Armando Lages:


HGE no comando de Ronaldo e Kátia Born
HGE no comando de Ronaldo e Kátia Born 



Em 28 de novembro publiquei "Feliz Aniversário" Brandão Vilela(Kátia Born assina convênio para reformar Unidade de Emergência), onde há relatos sobre os gastos e as manobras utilizadas para a inauguração do que hoje é chamado de HGE
Kátia Born assina convênio para reformar Unidade de Emergência
Kátia Born assina convênio para reformar Unidade de Emergência



Após a inauguração restou uma dúvida arquitetônica! É uma  Porta ou janela na imagem?
porta ou janela
É uma porta Porta ou janela na imagem?


        A Velha Forma de  Tratar Saúde  em Alagoas (HGE ) 28/02/2009



A Velha Forma de  Tratar Saúde  em Alagoas (HGE ) 28/02/2009
A Velha Forma de  Tratar Saúde  em Alagoas (HGE ) 28/02/2009

 Sala de Procedimentos na Área Azul do HGE Maceió-AL,em 28/02/2009
Maca velha e o que se pode chamar de resto de armário
Maca velha 


Maca velha para atendimento e  armário



Resto de Armário (Sala de Procedimento)
Resto de Armário (Sala de Procedimento)



Maca Velha
Maca Velha




                                                       Armário Velho e quebrado
Sala do Serviço Social do HGE/Al


Sala do Serviço Social do HGE/Al



                               Sala do Setor de Pediatria do HGE / Maceió-Alagoas

Falta de Armários e materiais acondicionados no chão  em caixas de papelão.
Falta de Armários e materiais acondicionados no chão
em caixas de papelão.



"A probidade é uma obrigação elementar, a que todos, especialmente os que recebem, administram e aplicam dinheiro público, estão jungidos. O Presidente da República, evidentemente, não escapa a essa obrigação. Desse modo tem de zelar para que toda a Administração Pública se atenda estritamente às normas de probidade, sobretudo financeira".
Manuel Gonçalves Ferreira Filho




Em 03 de março de 2009 :Central de Esterilização do HGE(Hospital Geral do Estado de Alagoas) funciona precariamente na antiga Unidade Emergência Armando Lages

  • Deprimente o ambiente insalubre da " Central de Esterilização" do novo HGE localizada nas dependências da antiga Unidade de Emergência Armando Lages, cercada por lixos e entulhos de onde brota um odor de mofo pútrido os quais são inalados pelos pobres funcionários que são obrigados a passar horas nos pequenos cubículos que formam a pseudo Central de Esterilização.


Fotos da Central de Esterilização da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages

Central de Esterilização da UEAL
 Central de Esterilização da UEAL  

Central de Esterilização da UEAL
 Central de Esterilização da UEAL  

Placa indicando a entrada da Central de Esterilização da UEAL


Placa indicando a entrada da Central de Esterilização da UEAL



Em 03 de julho de 2009. escrevi a postagem : O Telhado de Cristal do HGE e o Hedonismo do Poder , após a leitura de um comunicado do Gerente do HGE de Alagoas aos médicos da Instituição ,com data de 03/03/2009.O mesmo discorria sobre a negativa de atendimento sem justa causa aos pacientes que procuram o referido hospital, como também a possível recusa na elaboração de guias de transferência , fazendo menção aos crimes previstos no ordenamento jurídico, e ao código de ética médica .Conforme o Gerente do HGE, o comunicado foi motivado em cumprimento ao ofício do Ministério Público Estadual que trata da qualidade do serviço prestado na instituição HGE.

comunicado do Gerente do HGE de Alagoas
Comunicado do Gerente do HGE de Alagoas ,em 03 de março de 2009

  • " A 2ª Promotoria de Justiça Coletiva Especializada de Defesa da Saúde, do Idoso e do Deficiente alerta, na própria Portaria, que o Estado e seus gestores na área da saúde podem ser responsabilizados criminalmente por quaisquer danos que sejam causados aos pacientes que precisam de atendimento médico dentro do HGE. “O Código Penal, em seu art. 13, §2º, “a”, tipifica como crime omissivo próprio a omissão daquele que devia agir para evitar o resultado, estando caracterizado o dever de agir para aquele que, por lei em sentido amplo (leis em sentido estrito, resoluções, portarias), tem obrigação de cuidado, proteção ou vigilância’. "
  • "Para iniciar as investigações, o Ministério Público pede para que seja juntada aos autos do inquérito, a reportagem do jornal Gazeta de Alagoas, publicada no de 30 de janeiro de 2009, intitulada “Gerente-Geral passa mal e fica sem eletro”.

Em 20 de julho de 2009 :A Escolha de Sofia: A Cidadania esquecida no HGE de Alagoas 


A Escolha de Sofia: A Cidadania esquecida no HGE de Alagoas
A Escolha de Sofia: A Cidadania esquecida no HGE de Alagoas


  • O dilema de "Sofia",é a narrativa da história de uma mãe polonesa, filha de pai anti-semita, presa num campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial e que é forçada por um soldado nazista a escolher um de seus filhos para ser morto. Se ela se recusasse a escolher um, todos os filhos seriam mortos.


Manobras de RCP no chão do HGE
Manobras de RCP no chão do HGE

  • " Dados do Serviço de Arquivo Médico (Same) do Hospital Geral do Estado (HGE) comprovam as altas taxas. Desde 1989, o AVC está no topo na lista de óbitos; somente no primeiro semestre deste ano, cerca de 200 pacientes já morreram vítimas do problema. Em 2008, o total de óbitos foi de 370 e em 2007, 351 pessoas foram vítimas da doença" . saude.al.gov
Revista do SINMED - verdadeira saúde do povo Alagoano
Revista do SINMED - verdadeira saúde do povo Alagoano 



  • Nos corredores do hospital, a reportagem do UOL Notícias viu cenas da superlotação. Os pacientes se aglomeram em macas pelos corredores, enquanto os poucos atendentes se desdobram para tentar prestar o serviço. As instalações do hospital mostram precariedade em detalhes como a farmácia. Na área de atendimento à emergência, a superlotação é evidente.

Carlos Madeiro Especial para o UOL Notícias Em Maceió
Carlos Madeiro Especial para o UOL Notícias Em Maceió 


Em 06 de outubro de 2009: Cremal denuncia péssimas condições de trabalho no HGE 


Reunião no CREMAL em 2009
Reunião no CREMAL em 2009


  • O presidente Emmanuel Fortes, o conselheiro Hélvio Chagas Ferro e o advogado do Cremal, Delson Lyra, disseram que a situação do HGE é bastante preocupante. Além do meio ambiente de trabalho inadequado, sem condições mínimas de saúde e segurança para os trabalhadores, a fiscalização realizada constatou que não há um plano de ações para minimizar a carência do local. “O Cremal luta para que seja implantado um plano de ação que independa do gestor que venha a ocupar a direção do HGE e da Sesau (Secretaria de Saúde)”.

Em 22 de novembro de 2009 :O gasto de horrores em Alagoas com publicidade sobre falsos avanços na Saúde e Segurança Pública,enquanto os médicos ganham salários de fome! 
O caos impera na saúde de Alagoas -2009
O caos impera na saúde de Alagoas -2009


  • O Sindicato dos Médicos pediu audiência ao secretário estadual da Saúde, Herbert Motta, para falar de PCCS e da preocupação com a falta de médicos no Estado. O problema decorre dos baixos salários, que desestimula a permanência dos profissionais em Alagoas. O Sinmed já tentou de tudo para sensibilizar o governo quanto à necessidade de criar uma política salarial digna para a categoria, mas todos os esforços tem sido em vão. O projeto do Plano de Carreiras, Cargos e Subsídios (PCCS) não evolui por absoluto desinteresse do governo.

Em 09 de janeiro de 2010 A procissão,o calvário e uma ambulância dita "cidadã" : A saúde e o HGE de Alagoas sem fiscalização 



  • O Governo de Alagoas começou este ano eleitoral de 2010 anunciando uma nova leva de distribuição da chamada ambulância cidadã. O "programa" consiste em doar aos municípios ambulâncias para fazer funcionar o sistema de saúde e assistência à população, transferindo os doentes do interior para o Hospital Geral do Estado.
A procissão,o calvário e uma ambulância  dita "cidadã"
Ilustração:A procissão,o calvário e uma ambulância dita "cidadã"
                                 


“Será que é possível falar em falta de recursos para a saúde quando existem, no mesmo orçamento, recursos com propaganda de governo?" (O Controle Judicial de Políticas Públicas. Editora Revista dos Tribunais. São Paulo. 2005. p. 74 Américo Bedê Freire Júnior).


Em 24 de janeiro de 2010HGE:Inaugurado pela metade, maior hospital de AL está superlotado 

Superlotação no HGE em 2010
Superlotação no HGE em 2010

Estado admite superlotação 

O secretário estadual de Saúde do Alagoas, Herbert Motta, e o municipal de Maceió, Francisco Lins, admitem a superlotação. Contudo, um responsabiliza o outro pelo problema. 


  • "A superlotação da área azul (do HGE) significa ampliação do atendimento da rede básica. Mais equipes do Programa Saúde da Família. Ampliar a cobertura em Jaraguá e Ponta da Terra (bairros de Maceió). Se a gente não ampliar, um diabético, por exemplo, tem uma crise, vai para o HGE. Tem que se investir na prevenção", disse o secretário Herbert Motta.

  • O secretário de Maceió, Francisco Lins, descartou dificuldades na rede de atenção básica. "Quando a gente fala em superlotação do HGE, cabe ao município de Maceió encontrar caminhos. Não tenho na estrutura do HGE pacientes da atenção básica, ou seja, pacientes que são considerados casos de urgência. Nesse tocante, o município disponibiliza há mais de um ano um plantão de domingo a domingo, inclusive feriado onde os pacientes têm acesso a consulta básica", disse Lins. 

Em 30 de janeiro de 2010 :CREMAL :OS MÉDICOS NÃO SÃO OS VILÕES


Ilustração: OS MÉDICOS NÃO SÃO OS VILÕES
Ilustração: OS MÉDICOS NÃO SÃO OS VILÕES

  • Depois de três anos de dedicada investigação no interior, o Conselho Regional de Medicina de Alagoas divulgou um relatório em que afirma que as unidades de saúde do Estado estão desaparelhadas (!) e que os médicos trabalham pouco e não cumprem suas cargas horárias. No final da apresentação do relatório, o Cremal anunciou que vai se reunir com os gestores para tentar resolver o problema. Grande iniciativa. O Sinmed vem fazendo isso ao longo dos seus mais de 30 anos de história. E é bom poder contar o Conselho de Medicina, que no cumprimento de seu papel de fiscalizar as condições de trabalho dos médicos reforça as insistentes denúncias do Sindicato sobre a precariedade de postos de saúde e hospitais, que comprometem ou até inviabilizam o exercício ético da medicina. (Coluna SINMED)


Leito chão em 2010 - HGE de Alagoas
Leito chão em 2010 - HGE de Alagoas

  • “Estou indignado com a morte desta senhora e como gestor tenho a responsabilidade de determinar a apuração deste caso; não compactuo com qualquer irregularidade que por ventura possa ter acontecido” (Secretário da Saúde de Alagoas, Herbert Motta
  • Frase proferida pelo Secretário da Saúde de Alagoas Herberth Motta após denúncias dos familiares da Sra. Josefa Lima da Silva a imprensa Alagoana. 
  • Na hora da visita no Hospital Geral do Estado de Alagoas os familiares encontraram o corpo já sem vida da paciente no setor da área azul. 
  • Explicou ainda o secretário Herbert Motta que :”De acordo com o prontuário médico, ela foi internada na área vermelha (pacientes graves), por volta das 10h04, apresentando quadro clínico de dispneia (falta de ar), e após ter evoluído seu estado de saúde ela teria sido encaminhada para a área azul. O fato é que houve uma morte no HGE em condições que precisam ser esclarecidas para a sociedade, e principalmente os familiares que estão sofrendo neste momento".
HGE em 29 de janeiro de 2010
HGE em 29 de janeiro de 2010

  • HGE será administrado por empresa de consultoria Sesau privatiza administração do HGE e UE do Agreste. Empresa vai receber R$ 2,98 milhões nos primeiros 12 meses. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) publicou no Diário Oficial do Estado, no último dia 3 de fevereiro, contrato firmado com a empresa Pró-Saúde - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar. O objeto do contrato, com duração de doze meses ("renováveis por iguais e sucessivos períodos"), é "a prestação de serviços de consultoria e assessoria em Administração Hospitalar, visando atender às necessidades das Unidades de Saúde, sob gestão da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas: Hospital Geral Professor Osvaldo Brandão Vilela e Unidade de Emergência Dr. Daniel Houly", conforme divulgado no DO.

Em 26 de fevereiro de 2010HGE É CASO DE POLÍCIA 

HGE em 13 de fevereiro de 2010
HGE em 13 de fevereiro de 2010

  • O Sindicato dos Médicos vai insistir. Mais uma vez, na semana que começa, encaminhará ao Ministério Público Estadual (MP/AL) um documento com denúncias sobre a falta de condições de atendimento e de trabalho no Hospital Geral do Estado (HGE) e também na Unidade de Emergência (UE) do Agreste. Alguém precisa fazer alguma coisa quanto à falta de responsabilidade do governo, que tem resultado em muitas mortes que poderiam ser evitadas. A diretoria do Sinmed vai pedir ao MP que faça uma vistoria no HGE e UE do Agreste, para constatar a falta de médicos (horários descobertos), a longa fila de pacientes graves à espera no corredor do centro cirúrgico (“corredor da morte”), a improvisação, quando se coloca médicos sem habilitação específica para monitorar os internados na UTI e até a “UTI informal” em que foi transformada a tal área vermelha, que agora tem um anexo, que é o corredor que leva ao centro cirúrgico, constantemente tomado por macas de pacientes que parecem fazer fila para morrer.




Presidente do Sinmed, em 2010,Wellington Galvão

  • Sinmed entregará documento para autoridades detalhando escândalos na saúde pública Próxima sexta-feira (5/3) dossiê do Sindicato dos Médicos será entregue ao MPE, MPF, CFM, e DP O Sindicato dos Médicos de Alagoas está terminando um relatório que trará a realidade das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital Geral do Estado (HGE), do Hospital Hélvio Auto e da Unidade do Agreste. O documento que mostra de forma detalhada, a situação caótica dos hospitais, será entregue na próxima sexta-feira (5/3) ao Ministério Público Estadual (MPE), Ministério Público Federal (MPF), Defensoria Pública e Conselho Federal de Medicina (CFM).


Propaganda governamental não condiz com realidade
Em 2010 : Propaganda governamental não condiz com realidade


  • Tendo em vista o aumento significativo das notificações de médicos que atuam nos serviços de urgência e emergência da rede pública estadual, que procuram o Sindicato dos Médicos de Alagoas em busca de apoio na tentativa de obter condições minimamente éticas para o exercício da medicina, assim como de segurança para garantia da própria integridade física durante o atendimento à população, vimos, mais uma vez, apelar ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal em Alagoas, Ministério Público do Trabalho em Alagoas, Defensoria Pública Estadual, Tribunal de Justiça de Alagoas e Secretaria de Estado da Defesa Social, para a tomada das providências que lhes competem, diante de tudo que expomos a seguir. Relatório completo aqui


Após o relatório do SINMED , a Secretaria da Saúde de Alagoas publicou nota contestando totalmente o que foi colhido pelo Sindicato dos Médicos em relação a situação caótica presente no sistema de saúde do Estado.

Vídeo nesse link é uma retrospectiva no tempo sobre a Saúde em Alagoas, e claramente na minha opinião, confirma o relatório do SINMED . E vocês o que acham ? Ao final deixo a sugestão de alguns artigos que são corroborantes com a realidade apresentada .


Idoso colocado em uma maca no corredor de acesso ao Centro Cirúrgico do HGE de Alagoas em 11 de dezembro de 2009
Idoso colocado em uma maca no corredor de acesso ao Centro Cirúrgico do HGE de Alagoas em 11 de dezembro de 2009


Idoso colocado em uma maca no corredor de acesso ao Centro Cirúrgico do HGE de Alagoas em 11 de dezembro de 2009. (Estatuto do Idoso: Art. 4o Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei. § 1o É dever de todos prevenir a ameaça ou violação aos direitos do idoso ) O artigo é dedicado a Sra. Josefa Lima da Silva encontrada já sem vida por seus familiares no corredor do Hospital Geral do Estado de Alagoas em 19 de julho de 2009



Em 25 de abril de 2010Superlotação e falta de higiene no HGE de Alagoas,já constava em relatório em 2008 

" O Teto sobrecai sobre os alimentos. Os alimentos tão vindo estragados tá. Há sujeira totalmente "
" O Teto sobrecai sobre os alimentos. Os alimentos tão vindo estragados tá. Há sujeira totalmente "


  • " O Teto sobrecai sobre os alimentos. Os alimentos tão vindo estragados tá. Há sujeira totalmente " De acordo com um relatório elaborado por médicos do HGE de Alagoas e recebido pelo blog com data de 04 de novembro de 2008, os problemas existentes nos dias atuais permanecem os mesmos e sem resolutividade apesar da Gerência do HGE e consequentemente a SESAU tivessem a época tomado conhecimento de todas as mazelas existentes conforme informações recebidas. Veja o vídeo : HGE  em 2010



Paciente com suspeita de derrame fica deitado no chão, em frente ao HGE, por falta de atendimento (Foto: Porllanne Santos)
Paciente com suspeita de derrame fica deitado no chão, em frente ao HGE, por falta de atendimento (Foto: Porllanne Santos) 


" O médico ainda informou à nossa reportagem que o HGE conta com os serviços de uma empresa de consultoria, chamada Pró Saúde, para administrar o local. Segundo ele, está sendo gasto na consultoria cerca de R$ 3 milhões. “Este já é processo de privatização do hospital, e a situação só tem piorado cada vez mais. Já pegamos casos de termos quase dez ambulâncias presas na unidade de saúde, porque as macas não são liberadas por não ter onde colocar os pacientes”, concluiu.


Em 13 de maio de 2010CREMAL oferece representação ao MPE-AL conforme relatório resultante da fiscalização no HGE 


Logo do Conselho Regional de Medicina -AL
Logo do Conselho Regional de Medicina -AL



  • O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, através da promotora de Justiça do 2º Cargo da Promotoria de Justiça Coletiva Especializada de Defesa da Saúde, do Idoso e do Deficiente – PRODSID, tendo em vista a representação oferecida pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Alagoas – CREMAL, mediante apresentação de relatório resultante da fiscalização realizada entre os meses de novembro de 2008 e maio de 2009, no Hospital Geral do Estado Oswaldo Brandão Vilela, e Considerando que: a Constituição Federal tem a dignidade da pessoa humana como um dos fundamentos em que se alicerça; 

Em 17 de maio de 2010Ministério diz que Alagoas descumpre lei e investe pouco em Saúde  
Propaganda do governo de Alagoas em 2010
Propaganda do governo de Alagoas em 2010



  • Investimento pesado é feito em propaganda enganosa
  • Ministério diz que Alagoas descumpre lei e investe pouco em Saúde
  • Balanço mostra o Estado na lista dos que mais desvalorizam o setor
  • Ao contrário do que diz na cara publicidade que invade todas as mídias, o governo de Alagoas ignora a Constituição e investe pouco em Saúde, segundo pesquisa do Ministério da Saúde. O balanço feito pelo Ministério da Saúde acerca dos investimentos estaduais no setor aponta que 13 Estados aplicaram em 2008 valores mais baixos que os determinados pela Constituição. Juntos, os governos deixaram de aplicar R$ 3,1 bilhões em hospitais, remédios, exames, cirurgias e equipamentos médicos.


ANVISA
ANVISA

HGE 18 de maio de 2010
18 de maio de 2010

HGE 18 de maio de 2010
HGE 18 de maio de 2010


  • HGE de Alagoas (Área Vermelha em 18 de maio de 2010). Acomodação de pacientes em desacordo com as normas técnicas e portarias da ANVISA . Distâncias nos leitos(Recomendação ANVISA) Box= no mínimo 3 metros de largura. 1 metro em cada lateral e mais 1 metro para a cama; Entre leitos= no mínimo 2 metros com separação “móvel” entre eles;

Em 28 de maio de 2010Festival de Sindicâncias , Diligências e Investigações em Alagoas: E o resultado ? Você sabe ? 

  • Espero que a memória dos Alagoanos não siga a velha regra de ser curta ! A postagem é uma forma de relembrar e dizer aos poderes constituídos da nação brasileira que cidadania se constrói com a dignidade e com a manutenção dos princípios de legalidade de um povo. Link


Em 23 de julho de 2010CAOS NA EMERGÊNCIA: ATÉ QUANDO? 

Coluna do Sinmed em 2010
Coluna do Sinmed em 2010


  • Em março, 30 pacientes gravíssimos “internados” na área vermelha – destinada ao atendimento de pacientes com risco de morte – representavam o máximo de descaso e de desrespeito com a vida humana. A área vermelha foi transformada em uma UTI informal, sem equipamentos e sem intensivistas. Quem trabalha no hospital não conseguia nem pensar na hipótese de ver mais pacientes internados ali. Mas na semana passada foram contados 42 doentes graves, com risco de morte, deixados na área vermelha.


Em 07 de agosto de 2010Superlotação na UE chocava promotores em 2007 . E com a realidade de hoje no HGE qual seria o sentimento ? 


  • Nos dias de hoje os pacientes ainda continuam espalhados por todos os lados dos corredores em macas ou mesmo em colchonetes . A área vermelha foi transformada em UTI sem intensivistas ,e o excesso de fedentina continua com ar-condicionados quebrados,Tomógrafo sem funcionar, baratas ,moscas e alguns roedores ainda fazendo parte do ecossistema hospitalar a florear as escalas médicas imcompletas, com o teto da UTI a desabar sem ser notícia na imprensa . O alagamento no hospital é " noticiado" como se fosse uma garoa , e somando as falhas no reabastecimento do almoxarifado o caos pouco a pouco ,vai construindo o verdadeiro cenário existente no "novo" HGE de Alagoas, apesar da tão alardeada e decantada consultoria especializada da Pró- Saúde!
HGE 29 de julho de 2010
HGE 29 de julho de 2010

No LINK , um pouco da história da Pró Saúde




Em 20 de agosto de 2010 :Maquiagem esconde caos do HGE para propaganda eleitoral 

  • Corredores do HGE foram desocupados e lavados para gravação de programa para o guia eleitoral do governo. Na quinta-feira, 19, pacientes que se acumulavam em leitos improvisados nos corredores foram transferidos para outras unidades de saúde, inclusive no interior do Estado. Doentes que não podiam ser transferidos foram acomodados no último andar do hospital. As arrumações perturbaram a rotina do caótico HGE e deixaram indignados médicos, demais servidores, doentes e acompanhantes, quando todos souberam do que se tratava. (Coluna do SINMED em 2010)
Em 20 de agosto de 2010 : NOVA OPERAÇÃO DE MAQUIAGEM NO HGE

Corredor do HGE vazio ? NOVA OPERAÇÃO DE MAQUIAGEM
Corredor do HGE vazio ? NOVA OPERAÇÃO DE MAQUIAGEM em 17 de agosto de 2010

  • Quinta-feira, 19 de agosto. O corre-corre no Hospital de Urgências do Estado estava mais intenso, por conta de transferência de pacientes. O objetivo era desocupar os corredores que vivem abarrotados de doentes e arrumar as enfermarias.

Em 31 de agosto de 2010MAQUIAGEM BORRADA NO HGE 

LOGO; Coluna SINMED
LOGO; Coluna SINMED

  • A COLUNA DO SINMED denunciou na semana passada mais um absurdo cometido pela direção do HGE, sob as ordens da Sesau. Pacientes que superlotam as enfermarias ou ficam em macas, cadeiras de rodas e até no chão dos corredores, por falta de estrutura de atendimento do hospital, receberam alta ou foram transferidos às pressas para hospitais do interior, no último dia 19, para que a equipe que cuida da campanha do governador filmasse as áreas – que depois de desocupadas fossem limpas – para apresentar no guia eleitoral, mostrando à população um hospital que não existe. Ou seja: sem pacientes largados pelos cantos, desassistidos, desrespeitados, humilhados.

Só há três probleminhas a serem resolvidos :  A)O primeiro é Quando será a conclusão da obra
Propaganda em 2010



Em 19 de setembro de 2010 : Ministério Público Estadual - AL :Pro Saúde


Logo do MP/AL
Logo do MP/AL


  • MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL :Pro Saúde – Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar e a Secretaria de Saúde do Estado de Alagoas PORTARIA CONJUNTA PRODSID/PJCFE Nº 02/2010 O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, através do 2º Cargo da Promotoria de Justiça Coletiva Especializada de Defesa da Saúde, do Idoso e do Deficiente – PRODSID e do 5º Cargo da Promotoria de Justiça Coletiva da Fazenda Estadual - PJCFE, em face da publicação do Extrato do Contrato nº 002/2010, no Diário Oficial do Estado de Alagoas, em 03 de fevereiro de 2010, celebrado entre a entidade Pro Saúde – Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar e a Secretaria de Saúde do Estado de Alagoas para prestação de serviços de consultoria e assessoria em administração hospitalar, pelo período de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período, a serem prestados em duas unidades hospitalares sob gestão estadual - Hospital Geral Professor Osvaldo Brandão Vilela e Unidade de Emergência Dr. Daniel Houly, no valor de R$ 2.982.240,00 (dois milhões, novecentos e oitenta e dois mil, e duzentos e quarenta reais) com inexigibilidade de licitação, e;

Em 02 de outubro de 2010Superbactéria resistente a antibióticos ameaça pacientes do Hospital Geral de Alagoas (HGE) 

acinetobacter baumanni
acinetobacter baumanni

  • Conforme informações colhidas pelo blog ,o Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE),vem há mais de dois meses "enfrentando" uma situação grave devido a presença de uma bactéria de nome acinetobacter baumanni. A bactéria foi isolada em três pacientes que se encontram em estado crítico na UTI da referida unidade de saúde. Um determinado hospital da cidade de Maceió resolveu interditar a sua UTI para desinfecção ,em função da contaminação por essa superbactéria proveniente do HGE.


Aviso de Precauções de contato, na Ala F em virtude de bactéria resistente gram-negativa
Aviso de Precauções de contato, na Ala F em virtude de bactéria resistente gram-negativa Fonte: https://alagoasreal.blogspot.com/2010/12/nem-tudo-e-azul-no-hge-de-alagoas.html


Em 16 de outubro de 2010O relatório do SINMED sobre o HGE : Alguém leu ? 

          VÍDEO SOBRE O RELATÓRIO DO SINMED



  • O Sindicato dos Médicos de Alagoas (SINMED-AL) apresentou em 10 de março de 2010, um relatório sobre as condições de funcionamento e de trabalho médico das emergências e urgências da rede pública de saúde do Estado. O relatório foi apresentado à imprensa, ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal em Alagoas, Ministério Público do Trabalho em Alagoas, Defensoria Pública Estadual, Tribunal de Justiça de Alagoas e Secretaria de Estado da Defesa Social, com o objetivo de mobilizar e obter apoio na luta por condições éticas para o exercício da medicina.




  • Em 19 de outubro de 2010 : "...mais uma vez, denunciou a existência de uma máfia no HGE " 

    logo do estado de AL
    logo do estado de AL

    • RELATÓRIO TÉCNICO 2ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIB/AL Data: 16 de março de 2009. Local: Auditório Arthur Ramos – Secretaria de Estado da Saúde Composição da Mesa: SESAU: Júlia Maria Fernandes Tenório Levino, Jorge de Souza Villas Bôas e Antônio de Pádua Cavalcante. COSEMS: Oneide Regina Camilo dos Santos Cândido e Maria Inês Ferreira Neto Brandão.



    Área Vermelha do HGE de Alagoas Superlotada em 21de outubro de 2010
    Área Vermelha do HGE de Alagoas Superlotada em 21 de outubro de 2010 

    • Mas o que é a ética se comparada a República Alagoana ? Diriam eles sem nenhuma cerimônia: Um simples artefato filosófico que não guia mais o comportamento humano quando inserido na sociedade caeté.Se eles deglutiram o bispo Sardinha o que não fariam com a liberdade ?


    Hospital Geral do Estado de Alagoas em 02 de dezembro de 2010 Pacientes em macas no corredor !
    Hospital Geral do Estado de Alagoas em 02 de dezembro de 2010 Pacientes em macas no corredor ! 

    • O blog Alagoas Real em setembro de 2010 , realizou uma postagem mostrando a portaria que instaurava o procedimento preparatório em decorrência " da publicação do Extrato do Contrato nº 002/2010, no Diário Oficial do Estado de Alagoas, em 03 de fevereiro de 2010, celebrado entre a entidade Pró Saúde – Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar e a Secretaria de Saúde do Estado de Alagoas para prestação de serviços de consultoria e assessoria em administração hospitalar, pelo período de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período, a serem prestados em duas unidades hospitalares sob gestão estadual - Hospital Geral Professor Osvaldo Brandão Vilela e Unidade de Emergência Dr. Daniel Houly, no valor de R$ 2.982.240,00 (dois milhões, novecentos e oitenta e dois mil, e duzentos e quarenta reais) com inexigibilidade de licitação". Recentemente o Conselho Estadual de Saúde pediu, ao Ministério Público Federal, uma auditoria no Hospital Geral do Estado- o maior de Alagoas. O pedido foi feito no dia 5 de novembro pelos conselheiros. Solicita também auditoria do Prosaude .confira

    hge
    Corredor - HGE 2010

    • Enquanto a Vigilância Sanitária de Alagoas passeia garbosamente nos meios televisivos a mostrar a importância da nova resolução RDC 44/10 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que estabelece um novo regulamento para o receituário e venda de antibióticos ,as bactérias multirresistentes fazem seu show desfilando a "olhos vistos " no Hospital Geral de Alagoas .  

    E os problemas vão existindo e se multiplicando ao ritmo de uma progressão geométrica .Eles vão desgastando as entidades que representam a classe médica e criando a todo custo um ônus de responsabilidade para os profissionais da saúde,como se fossem eles os responsáveis pelo caos instituído e mantido pelo Governo .


    Em 11 de fevereiro de 2011PRÓ-SAÚDE PIOROU CAOS NAS EMERGÊNCIAS 

    • Forças ocultas, na Secretaria de Saúde, manobram para que o governo renove o contrato com a Pró-Saúde, a tal “associação beneficente” que foi contratada para dar “consultoria de administração hospitalar” no HGE e UE do Agreste. O contrato está chegando ao fim e, depois de 12 meses, além de receber o rico dinheirinho do erário, o principal feito da Pró-Saúde foi piorar sensivelmente a caótica condição de funcionamento das duas emergências. Algo que, diga-se, parecia impossível.

    Área Vermelha do HGE em 17 de janeiro de 2011
    Área Vermelha do HGE em 17 de janeiro de 2011 

    • O início da segunda era do Governo Teotonio Vilela Filho (PSDB) incomoda os corredores dos órgãos de fiscalização do dinheiro público. Mais especificamente: problemas na Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). Depois de abrir inquéritos civis públicos, para averiguar os contratos assinados entre Governo e Organizações Sociais (OSs), o Ministério Público Federal deu prazo de cinco dias para que a Sesau encaminhe explicações sobre a morte de 11 bebês, na maternidade Santa Mônica. Mais exatamente: o MPF quer o relatório de inspeção realizado na maternidade, pela secretaria, para embasar outro inquérito civil público. Fonte: Blog Odilon Rios

    • Hoje faz 1 ano que o Sinmed elaborou e entregou o relatório sobre as condições de funcionamento e de trabalho médico das emergências e urgências da rede pública de saúde do Estado de Alagoas. O relatório foi apresentado à imprensa, ao Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal em Alagoas, Ministério Público do Trabalho em Alagoas, Defensoria Pública Estadual, Tribunal de Justiça de Alagoas e Secretaria de Estado da Defesa Social, com o objetivo de mobilizar e obter apoio na luta por condições éticas para o exercício da medicina.
    Em 14 de março de 2011ABANDONO DA POPULAÇÃO DOENTE NO HGE 

    Área Amarela -Paciente M. C , com bactéria Acinetobacter -Março 2011
    Área Amarela -Paciente M. C , com bactéria Acinetobacter -Março 2011

    ABANDONO DA POPULAÇÃO DOENTE NO HGE 
     Gorete Araújo* 

    Quem defende os pacientes depositados no HGE de Alagoas? Quem defende seus parentes desesperados por atendimento humanizado? Quem sente a dor do paciente que está no chão? Quem sente a dor do paciente deixado nos corredores fedidos? Quem defende os profissionais que lá trabalham exaustivamente com remuneração vil? Quem sente a dor do abandono? Quem sentirá culpa por quem tinha chance de cura? Quem cura a dor da sequela física e moral? Quem trará esperança de dias melhores? Quem acalentará os que têm medo da dor? Quem é responsável pelo depósito de civis doentes e feridos que possuem corpo e alma? 
    *Advogada do Sinmed/AL



    PORTARIA PRODSID N° 04/2011 O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, por mero da Promotoria de Justiça Coletiva Especializada de Defesa da Saúde, do Idoso e do Deficiente - PRüDSID, tendo em vista as notícias veiculadas pela imprensa no sentido de que uma infecção por bactéria estaria acometendo pacientes no Hospital Geral do Estado e no Hospital Universitário, tendo neste último, inclusive, causado mortes, e; Considerando que: Confira


    Estado de Alagoas MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS  Procuradoria junto ao Tribunal de Contas
    Estado de Alagoas MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS  Procuradoria junto ao Tribunal de Contas 

    O Pleno do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas acolheu, em sessão de hoje, 12, o Parecer nº 00678/2011/1ª.PCB, do procurador Pedro Barbosa Neto, sobre a contratação da Entidade Pró-Saúde, pela Secretaria Executiva de Saúde, para prestação de serviços de consultoria e assessoria em administração hospitalar no Hospital Geral Professor Osvaldo Brandão Vilela e na Unidade de Emergência Dr. Daniel Houly. Foi aplicada multa de R$ 8.105,00 ao secretário de Saúde, Hebert Motta de Almeida, por considerar que o contrato poderá resultar em dano ao erário, pela ausência de pesquisa de preços, por ocasião da contratação. Confira




    HGE de Alagoas-Imagem:Terra-Odilon Rios Direto de Maceió
    HGE de Alagoas-Imagem:Terra-Odilon Rios Direto de Maceió

    Pacientes atacados por formigas, apertados em macas pequenas, mortos dividindo espaço com os vivos, lixo próximo a pacientes, goteiras e atendimentos improvisados em cadeira por falta de leitos. Esse é o retrato da crise na maior unidade pública de saúde de Alagoas, o Hospital Geral do Estado, em Maceió. Confira




    A situação está cada vez mais complicada para quem trabalha no Hospital Geral do Estado (HGE). Como se não bastasse todo o descaso do governo em não honrar com seus compromissos assumidos com a categoria, estamos tendo ainda um virulento movimento de assédio moral contra aqueles (as) que ousam se rebelar contra essa situação. Confira




    Foto HGE -2011 Coren
    Foto HGE -2011 Coren

    O COREN conseguiu uma liminar na Justiça Federal autorizando a entrada dos fiscais do Conselho no HGE.Vale ressaltar que somente após a determinação judicial,foi que o COREN recebeu da direção do Hospital Geral do Estado o " convite" para uma visita .Não deixa dúvida que tal ato de invitar foi somente o fruto resultante das penas da lei ! Confira



    HGE de Alagoas ,corredor da área amarela em 10 de junho de 2011
    HGE de Alagoas ,corredor da área amarela em 10 de junho de 2011   


    ADV: EDUARDO VALENÇA RAMALHO (OAB 5080/AL), DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA (OAB 10/AL) - Processo 0020477-64.2010.8.02.0001 (001.10.020477-6) - Procedimento Ordinário - Indenização por Dano Moral - AUTOR: Davi Teles de Farias RÉU: O Estado de Alagoas - SENTENÇA. Vistos etc... DAVI TELES DE FARIAS, pessoa física, idoso e incapaz, nos autos representado por sua curadora, Sra. Maria Aparecida de Farias Cavalcante, devidamente identificada às fls. 03, por intermédio do Núcleo de Atendimento ao Idoso, da Defensoria Pública do Estado de Alagoas, interpôs a presente Ação de Indenização Por Danos Morais, contra o Estado de Alagoas, pessoa jurídica de direito público interno.  Confira



    Pacientes no chão-HGE de Alagoas ,junho de 2011
    Pacientes no chão-HGE de Alagoas ,junho de 2011 

    ADV: RONIVALDA DE ANDRADE (OAB 22923/AL) - Processo 0067524-34.2010.8.02.0001 (001.10.067524-8) - Inquerito Policial - Fato Atipico - AUTOR: Justica Publica - VITIMA: Jose Benedito Batista da Silva - INDICIADO: Em apuracao - Trata-se de Inquerito Policial, instaurado com o intuito de averiguar o desaparecimento do Hospital Geral do Estado HGE de Jose Benedito Batista da Silva, em 13.01.2010. Recebidos os autos da autoridade policial, percebe-se que esta requereu concessao de dilacao de prazo para conclusao deste inquerito. Confira



    HGE em 2011
    HGE em 2011


    Conforme parecer do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas , na gestão do ex- Secretário da Saúde e atual Secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Renda, o médico Herbeth Motta de Almeida, dinheiro parecia não ser o grande problema da SESAU, e sim a solução. É descrito pelo Procurador Pedro Barbosa Neto , que a cada hora-aula ministrada pelos professores da Pró Saúde - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, empresa de consultoria de São Paulo contratada pela SESAU através da modalidade de inexigibilidade de licitação ,era desembolsado dos cofres do erário para o pagamento a simples bagatela de R$ 1.688,00 (hum mil seiscentos e oitenta e oito reais). Confira


    No dia 4 de maio, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Alagoas recebia documentos e fotos mostrando o caos na saúde pública no maior hospital de atendimento a doentes do SUS- o Hospital Geral do Estado. A promessa era mudar o manjado quadro na unidade- que ainda espera a ampliação da antiga Unidade de Emergência Armando Lajes, na prática, sem data para ser entregue à sociedade. A ação da OAB- como tantas outras poderia- ou deveria- ser diferente. A cada minuto, 24 horas por dia, abundam as denúncias de superlotação, falta de estrutura de atendimento, médicos que ameaçam entrar em greve porque o Governo não estaria cumprindo o pagamento de gratificações, enfermeiros ou técnicos trabalhando sem raio X, porque o gerador- na falta de luz- não suporta o funcionamento do equipamento. Fonte: Blog Odilon Rios Confira



    A crise na saúde pública do Estado- como se pode perceber nas cenas de pacientes espalhados pelo chão nos corredores do Hospital Geral do Estado (a maior unidade pública alagoana)- nem de longe pode ser comparada ao vigor financeiro da Secretaria Estadual de Saúde, conforme movimentação do Fundo Estadual de Saúde. Dados levantados pelo RA mostram que, apesar da carência de profissionais da saúde como médicos e enfermeiros- os gastos com o Fundo Estadual de Saúde poderiam ser aplicados na contratação de concurso público, por exemplo, diminuindo o caos nas unidades públicas de atendimento a população. Os gastos com viagens de avião- na maioria dos casos- somam- só este ano- R$ 868.140,22. Os destinos não são informados e a motivação para as viagens também não são disponibilizados ao público. Fonte: Blog Odilon Rios Confira


    Fiscalização do CREMAL-CFM
    Fiscalização do CREMAL-CFM

    Em julho de 2011 o CFM e o CREMAL fizeram uma visita ao Hospital Geral do Estado de Alagoas,e constataram a precariedade do serviço. O Conselheiro Emmanuel Fortes assim relata: "‘É preciso que o governo mostre se está aplicando os 12% do orçamento total do estado na área da saúde, como e onde está investindo"......"Do contrário, acionaremos o Ministério Público” O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) realizou no dia 28 de julho de 2011, a primeira fiscalização do ano ao Hospital Geral do Estado, acompanhado pela diretoria do Conselho Federal de Medicina (CFM). “Encontramos 81 pacientes a mais do que o número de leitos: 260, atualmente. Esse excedente, distribuído pelos corredores, em condições impróprias para uma recuperação digna, gerando dificuldade também para os médicos prestarem uma boa assistência,” disse Fernando Pedrosa, presidente do Cremal. Fonte: Confira



    O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) realizou no dia 28 de julho de 2011, a primeira fiscalização do ano ao Hospital Geral do Estado, acompanhado pela diretoria do Conselho Federal de Medicina (CFM). Através de um termo de ajuste ficou acordado na ocasião que no período de 60 dias as irregularidades constatadas na visita deveriam ser resolvidas , caso contrário ,o Ministério Público Alagoano seria acionado conforme foi o relato do médico Fernando Pedrosa ,Presidente do Conselho Regional de Medicina de Alagoas. Pedrosa teceu ainda comentários sobre o que foi visto no HGE: “Encontramos 81 pacientes a mais do que o número de leitos: 260, atualmente. Esse excedente, distribuído pelos corredores, em condições impróprias para uma recuperação digna, gerando dificuldade também para os médicos prestarem uma boa assistência. Nos anos anteriores fizemos a mesma denúncia de superlotação ao Ministério Público, mas em 2010 o Estado respondeu aos promotores de justiça que vai resolver a questão com o prédio anexo, onde serão abertos mais 200 leitos. Infelizmente isso não vai resolver. O governo precisa dar resolutividade ao sistema, dotando as unidades de atenção básica da infra-estrutura necessária à prestação de um serviço de qualidade”, Fonte: Confira


    Print do vídeo em 2011
    Print do vídeo em 2011


    As mazelas continuam a imperar no cotidiano do Hospital Geral do Estado de Alagoas . Em 28 de julho de 2011, o Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) realizou a primeira fiscalização do ano ao HGE, acompanhado pela diretoria do Conselho Federal de Medicina (CFM). O médico Fernando Pedrosa Presidente do CRM-AL , esclareceu na ocasião que no período de 60 dias as irregularidades constatadas na visita deveriam ser resolvidas , caso contrário ,o Ministério Público Alagoano seria acionado . Fonte: Confira reportagem e vídeo


    Paciente com um abano improvisado de papelão- HGE de Alagoas  01/12/2011
    Paciente com um abano improvisado de papelão- HGE de Alagoas  01/12/2011 


    Ao contrário da nota divulgada pela ASCOM / HGE no dia 01/12/2011 em relação a climatização do HGE , este site vem informar que : 1. Há exatas 2 semanas que este problema acometia a maioria dos setores do hospital comprometendo sim o seu funcionamento . 2.Nas proximidades do necrotério, com as janelas abertas em face ao extremo calor ,as moscas entravam no ambiente hospitalar com uma maior facilidade fazendo companhia a outros residentes permanentes do hospital,como as baratas,formigas etc. Fonte: Confira a nota da Direção a época
    Ambiente sem climatização -HGE de Alagoas 01/12/2011
    Ambiente sem climatização -HGE de Alagoas 01/12/2011 


    O problema parece que ainda está longe de ser resolvido,ocorrendo em períodos cíclicos de aproximadamente 25 dias! Vale lembrar que na última nota do HGE, as justificativas foram as mesmas: Confira
    Nota do Setor de Climatização e Refrigeração do HGE
    Nota do Setor de Climatização e Refrigeração do HGE


    "Conselho de Medicina entende que a temperatura ambiente em níveis elevados nas áreas internas hospitalares é um fator que põe em risco a vida e a saúde dos pacientes e dos profissionais que aí atuam, comprometendo sobremaneira a segurança e a eficácia do atendimento prestado, cabendo exclusivamente aos diretores do HGE e aos gestores da SESAU a responsabilização por complicações clínicas ou óbitos decorrentes dessa situação inaceitável." Fonte: Confira



    Os médicos plantonistas oficiaram à direção médica do HGE a solicitação de providências urgentes, sob risco de haver paralisação das atividades do centro cirúrgico, pela falta de condições mínimas de atuação. Na ocasião, o CREMAL foi informado que a gestão do HGE procurou transferir aqueles pacientes clinicamente estáveis para a Unidade de Emergência do Agreste, em Arapiraca, mas estavam ocorrendo contratempos na liberação de unidades do SAMU para realizar esses transportes e que, até o horário da fiscalização do CREMAL, ainda não havia ocorrido nenhuma transferência de pacientes Fonte: Confira



    O Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal) realizará nessa sexta-feira, 3 de fevereiro, durante todo o dia, o I Encontro do Departamento de Fiscalização (Defis) da entidade. O evento discutirá temas como a importância do controle da propaganda médica e contará com ações de fiscalização. Fonte: Confira


    No último domingo (15), a área vermelha do HGE, com capacidade para nove leitos, tinha uma atmosfera irrespirável. As 54 macas apinhadas no local praticamente impediam a movimentação de médicos e auxiliares que tentavam cuidar dos pacientes, todos em estado grave. No sistema que se tentou implantar no pronto socorro de Maceió (áreas identificadas por cores, conforme a complexidade da assistência necessária ao paciente) a área vermelha seria a “porta de entrada”, o local para recepcionar e dar atendimento inicial aos pacientes mais graves, que depois de estabilizados seriam encaminhados para centro cirúrgico, UTI ou internação. Mas como o HGE não tem estrutura para atender à demanda, a área vermelha virou área de internação de pacientes com risco de morte – ou uma UTI improvisada e desprovida dos equipamentos necessários a uma UTI. Fonte: Coluna SINMED Confira


    De acordo com investigação do MPF, um convênio firmado em 2005 entre o Ministério da Saúde o governo de Alagoas para a reforma e ampliação da antiga Unidade de Emergência Dr. Armando Lages (atual HGE) foi fraudado para, ainda na fase de licitação, beneficiar a empresa Arquitec – Arquitetura, Engenharia e Construção. Também houve superfaturamento de até 1000% nos preços de produtos e cobrança de valores excessivos a título de Benefícios, Bonificações e Despesas Indiretas (BDI). As ilegalidades tiveram início, já na licitação para selecionar a empresa responsável pelas obras. Contrariando o próprio edital, que exigia um capital social integralizado igual ou superior a R$ 1,1 milhão, a Arquitec foi escolhida mesmo tendo apresentado um capital de apenas R$ 570 mil. Fato que já torna nulo o contrato firmado com a empresa, e todos os seus sete termos aditivos. Fonte: Confira



    coren
    Fiscalização do COREN em 2012 - HGE

    Em uma ação rotineira do seu projeto itinerante, na semana passada, o Conselho Regional de Enfermagem de Alagoas (COREN-AL), deparou-se com o grave quadro de superlotação do Hospital Geral do Estado de Alagoas (HGE), em Maceió. Sensibilizado pela falta de condições dignas para a prestação de assistência à população, o COREN-AL dará seguimento aos trâmites legais para buscar melhorar a situação. Fonte: Confira


    Diário Oficial de 27 de junho de 2012 [...] EXTRATO DO CONTRATO Nº. 157/2012 QUE ENTRE SI CELEBRAM O ESTADO DE ALAGOAS, POR INTERMÉDIO DA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA- SEFAZ E DA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE - SESAU, E O INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL S/A, PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA. Processo nº 1101-1696/2012. Contratante: Estado de Alagoas, pessoa jurídica de direito público interno, inscrita no CNPJ sob o nº. 12.200.176/0001-76, por intermédio da Secretaria de Estado da Fazenda - SEFAZ, inscrita no CNPJ nº. 12.200.192/0001-69, com sede na Rua General Hermes, nº. 80, Cambona, Maceió, Alagoas, CEP nº. 57017-900, neste ato representada pelo seu Secretário, Sr. Maurício Acioli Toledo, portador do RG nº. 314.375 SSP/AL e inscrito no CPF sob o nº. 581.271.276-04, e a Secretaria de Estado da Saúde - SESAU, inscrita no CNPJ sob o nº. 12.200.259/0001-65, com sede na Avenida da Paz, 978, Jaraguá, Maceió,Alagoas, CEP nº. 57022-050, neste ato representada por seu Secretário, Sr. Alexandre de Melo Toledo, portador do RG nº. 229.838 SSP/AL e inscrito no CPF sob o nº. 177828644-53. Contratado: INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL S/A, sociedade anônima, com sede na Rua Alameda da Serra, 500, 2º andar, Vale do Sereno, CEP nº. 34.000-000 na Cidade de Nova Lima - MG, inscrito no CNPJ sob o número 05.485.279/0001-64, representado por seu Presidente Executivo, Sr. Mateus Affonso Bandeira, brasileiro, casado, portador do RG: 7039179523 e inscrito no CPF sob o nº. 572.483.970-91, e por seu Diretor, Sr. Bruno Maldonado Turra, brasileiro, casado, inscrito no CPF: 850.939.206-49 e no RG: M-4.887.444. Fonte: Confira




    coluna sinmed
    Coluna SINMED


    HGE FUNCIONA NORMALMENTE Apesar da greve, o HGE funciona em ritmo normal. Não tem como reduzir para 30% o funcionamento de um serviço que, em condições normais, só tem capacidade para atendimento de 10% da demanda. Isso mesmo: o Estado faz com que o HGE funcione com uma capacidade de apenas 10%, por não investir em estrutura nem pessoal, principalmente médicos. Irresponsável, omisso, incapaz, e indiferente às necessidades da população, o Governo alagoano mantém a maior emergência pública do Estado funcionando em situação de total indigência: de lençol a médico especialista, falta de tudo no HGE. Fonte: Confira




    Área vermelha do HGE ,em 2013 - Foto ASCOM SINMED
    Área vermelha do HGE ,em 2013 - Foto ASCOM SINMED

    Que área verde, que nada! Os pacientes ficam mesmo internados em macas e colchonetes pelos corredores, inclusive de acesso ao Centro Cirúrgico. A imagem desta foto, da área vermelha, dá uma dimensão do caos que é o HGE. Nesse local, os médicos atendem os pacientes graves que chegam e tenta salvar suas vidas. pela lotação, dá para ter uma ideia do espaço que os profissionais têm para trabalhar. Fonte: Confira




                                                     Na foto há uma porta ou janela?
    HGE/AL em novembro de 2008
    HGE/AL em novembro de 2008 

    O Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas denunciou o ex-governador Ronaldo Lessa e a ex-secretária de Saúde do Estado Kátia Born pelo desvio de R$ 5 milhões, que deveriam ter sido investidos na reforma da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages – atual Hospital Geral do Estado (HGE). De acordo com a ação, proposta pelo 3º Ofício de Combate à Corrupção do MPF, os réus fraudaram o caráter competitivo da licitação destinada à reforma, utilizando-se de sobrepreço, superfaturamento e inexecução contratual. Durante a vigência do contrato nº 46/2006, foram desviados R$ 5 milhões dos recursos destinados pelo Ministério da Saúde. Fonte: Confira



    Depoimento em rede social da médica Eliane Rocha ( Nossa! Saio da vermelha quando está assim arrasada.É deprimente, a sensação é de que nadei,nadei e morri na praia-Eliane Rocha Lopes Fonte: https://alagoasreal.blogspot.com/2013/02/saio-da-area-vermelha-do-hgeal-quando.html


    Quer processar? Processe os verdadeiros culpados. Processe o Estado, o governador... Quer fingir que esta atuante? Diga na imprensa que a greve dos médicos matou a paciente e que vai processar o Sinmed. Fonte: Coluna do SINMED Confira



    collor
    Collor

    Ao elogiar a presteza do ministro de receber os médicos, "que estão com salários achatados e sem condições dignas de trabalho nas unidades de saúde", o senador Collor reafirmou o desafio que já havia feito ao governador. "Eu desafio ele a visitar o HGE, a Santa Mônica e o Sindicato dos Médicos. Mas vá sem mandar grupo precursor. Vá depressa, porque a saúde está na UTI e sem direito a respirador. Saia da casa grande, tenha humildade e dialogue com esses profissionais que salvam vidas e merecem apoio". O Sindicato dos Médicos realiza nova assembleia nessa segunda-feira e a audiência poderá ocorrer na terça ou quarta-feira. Fonte: Gazetaweb, com assessoria via SINMED/AL Confira


    Para o MP, terá valido a pena esperar: o Sinmed elaborou resposta bastante consistente e documentada, robustecida por alguns anexos, tais como: 1. Cópia do Relatório do Sinmed encaminhado em 2007 à Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, do Idoso e do Adolescente, denunciando a falta de médicos e as condições precárias de funcionamento dos cinco Ambulatórios 24 horas da Capital e pedindo fiscalização nesses ambulatórios pelo MP para tomada de alguma providência. Fonte: Confira




    Logo SINMED
    Logo SINMED

    Maceió, 11 de Março de 2013 Ao Ministério Público Estadual À 20ª Promotoria de Justiça da Capital Ilmº Senhor Sidrack José do Nascimento Promotor de Justiça Ref.: Of. Nº 17/2013-20ª PJC Senhor Promotor, Em atenção ao solicitado no ofício nº 17/2013 – 20ª PJC, vimos, pelo presente, esclarecer o que se segue: 1. Os médicos da rede estadual de saúde estão em greve desde o dia 11 de dezembro de 2013, após decisão em assembleia geral da categoria comunicada, por ofício datado de 4 de dezembro de 2012 (Anexo 1), ao Ministério Público Estadual. 2. O decreto de ilegalidade da greve é questionado na Justiça pelo Sinmed, devido ao cumprimento de todas as formalidades legais exigidas para decretação do movimento pela categoria, que tem direito de greve assegurado pela Constituição Federal. Fonte: Confira


    Desde fevereiro de 2010, o HGE é administrado por uma Organização Social – a Pró-Saúde (cujo cancelamento do “contrato de gestão” foi “recomendado” pelo Ministério Público Estadual em decisão recente. Em 2010 e nos primeiro meses deste ano, o HGE manteve a tendência de piora nas condições de funcionamento de atendimento à população. Perdeu médicos efetivos e prestadores de serviços. No caso desses últimos, as desistências se deram em função do não cumprimento dos acordos salariais (em geral, para ganhar, no mínimo, três vezes mais que um médico efetivo com a mesma carga horária e atribuições). Fonte: Confira


    Fernando Pedrosa ainda é Presidente do CREMAL
    Fernando Pedrosa ainda é Presidente do CREMAL

    "A situação do Hospital Geral e da Santa Mônica é insustentável. É necessária uma mobilização geral de toda a sociedade, com apoio de deputados estaduais e dos vereadores de Maceió". presidente do CRM de Alagoas, Fernando Pedrosa. Fonte: Confira


    -----------------------------------------------&&&&&&---------------------------------------------------

    Sem mais delongas , espero ter alcançado por meio desta postagem o resgate da verdade sobre a saúde de Alagoas no período de 2007 a 2013 . 

    A época,  sob o comando do Dr. Wellington Galvão , tínhamos um sindicato combativo, que além da proteção médica , era também guardião da população alagoana .


    Por hoje é só!
    Maceió, 14 de outubro de 2022

    Mário Augusto


    Postar um comentário

    Postagem Anterior Próxima Postagem
    –>