Maceió-AL

Parar as estatinas "cedo" pode reduzir a proteção contra doenças cardíacas, diz estudo

Veja também

medicamento
medicamento
Logo AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas
AR NEWS NOTÍCIAS 24 horas

AR NEWS:  Brasil, Maceió ,27 de agosto  de 2022





 Parar a medicação prescrita com estatina "cedo" - ou mesmo aos 80 anos, em vez de usá-la por toda a vida - pode reduzir substancialmente a proteção contra doenças cardíacas, alerta um estudo britânico divulgado na quinta-feira.

A pesquisa britânica segue os passos de um painel de especialistas dos EUA que novamente pediu aos adultos de 40 a 75 anos com alto risco de um primeiro ataque cardíaco ou derrame que tomem estatinas para baixar o colesterol.

🔵Para as últimas manchetes, siga nosso canal do Google Notícias on-line ou pelo aplicativo.  📰 aqui

Suas descobertas serão apresentadas no sábado no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia 2022 em Barcelona, ​​Espanha.

"Parar o tratamento, a menos que seja aconselhado por um médico, não parece ser uma escolha sábia", disse Runguo Wu, pesquisador principal do novo estudo e economista da saúde da Universidade Queen Mary de Londres, no Reino Unido, em uma coletiva de imprensa. liberar.

Continue a leitura após o anúncio:
Confira  Últimas Notícias 🌎

Os pesquisadores disseram que existe alguma incerteza sobre quando começar e por quanto tempo continuar o tratamento com estatinas para otimizar seus efeitos.

Usando um "modelo de microssimulação" baseado em mais de 600.000 pessoas, eles estimaram o acúmulo de benefícios do uso de estatinas ao longo do tempo.

Especificamente, eles analisaram o efeito de uma dose diária padrão de 40 miligramas de estatinas, versus nenhuma terapia, em três cenários: tratamento ao longo da vida; a terapia foi descontinuada aos 80 anos e atrasou o início das estatinas em cinco anos em participantes com menos de 45 anos.


Eles descobriram que uma grande parte dos anos de vida ajustados à qualidade, ou QALY, significando anos de vida em perfeita saúde, que foram ganhos com o uso de estatinas ocorreram mais tarde na vida.

Comparado com a terapia com estatinas ao longo da vida, por exemplo, interromper as estatinas aos 80 anos, “apagou uma grande parte do benefício potencial, especialmente para pessoas com risco cardiovascular relativamente baixo”, disse o estudo.

"Nosso estudo sugere que as pessoas que começam a tomar estatinas aos 50 anos, mas param aos 80 anos de idade em vez de continuar por toda a vida, perderão 73% do benefício QALY se tiverem risco cardiovascular relativamente baixo e 36% se estiverem em alto risco. risco cardiovascular - já que aqueles com risco elevado começam a se beneficiar mais cedo", disse Wu no comunicado.

Para pessoas com menos de 45 anos com baixo risco cardiovascular ou com menos de 5% de probabilidade de ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral nos próximos 10 anos, um atraso de cinco anos no uso de estatinas teve pouco impacto: eles perderam 2% do benefício potencial do QALY da terapia ao longo da vida.


📙 GLOSSÁRIO:


🖥️ FONTES :
 
Com Agências


🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

  Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>