Maceió-AL

Ucrânia pede mais armas e cólera se espalha em Mariupol

AR NEWS NOTÍCIAS 11 de junho de 2022
Ucrânia quer mais artilharia para batalha no leste
Restos carbonizados de um local de esportes no gelo são vistos em Sievierodonetsk, região de Luhansk, Ucrânia, nesta imagem divulgada em 9 de junho de 2022. Imagem: REUTERS
Restos carbonizados de um local de esportes no gelo são vistos em Sievierodonetsk, região de Luhansk, Ucrânia, nesta imagem divulgada em 9 de junho de 2022. Imagem: REUTERS


Em suma

•O prefeito de Mariupol teme que milhares possam morrer de cólera lá.


•A escassez de alimentos causada pela guerra pode levar à fome globalmente -ONU

🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui
A Ucrânia pediu aos países ocidentais entregas mais rápidas de armas à medida que as forças russas mais bem armadas atacavam o leste do país e por apoio humanitário para combater os crescentes surtos de doenças mortais.

Em Sievierodonetsk, a pequena cidade que se tornou o foco do avanço da Rússia no leste da Ucrânia e um dos focos mais sangrentos de uma guerra em seu quarto mês, mais combates pesados ​​foram relatados.

A guerra no leste, onde a Rússia está concentrando sua atenção, agora é principalmente uma batalha de artilharia na qual Kyiv está severamente desarmado, dizem autoridades ucranianas. Isso significa que a maré dos eventos só pode mudar se Washington e outros cumprirem as promessas de enviar mais e melhores armamentos, incluindo sistemas de foguetes.

🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

"Esta é uma guerra de artilharia agora", disse Vadym Skibitsky, vice-chefe de inteligência militar da Ucrânia, ao jornal britânico Guardian.

"Tudo agora depende do que (o Ocidente) nos dá. A Ucrânia tem uma peça de artilharia para 10 a 15 peças de artilharia russas."

A Alemanha, um dos maiores fornecedores de armas desde a invasão da Rússia, mas criticada por demorar a fornecer o armamento pesado que Kyiv diz precisar, planeja revisar suas regras sobre exportação de armas para facilitar o armamento de democracias como a Ucrânia, informou o Der Spiegel nesta sexta-feira.

Ao sul, o prefeito de Mariupol - reduzido a ruínas por um cerco russo - disse que os sistemas de saneamento estavam quebrados e cadáveres estavam apodrecendo nas ruas.

"Há um surto de disenteria e cólera", disse Vadym Boichenko à televisão nacional. "A guerra que levou mais de 20.000 moradores... infelizmente, com esses surtos de infecção, vai reivindicar mais milhares de mariupolitas", disse ele, acrescentando que alguns poços foram contaminados por cadáveres.

Boichenko pediu às Nações Unidas e ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha que estabeleçam um corredor humanitário para permitir que os residentes restantes deixem a cidade, que agora está sob controle russo.

Em um instantâneo do impacto mais amplo da guerra, a agência de alimentos da ONU disse que a redução das exportações de trigo e outros produtos alimentícios da Ucrânia e da Rússia pode infligir fome crônica em até 19 milhões de pessoas a mais em todo o mundo no próximo ano.

BATALHA POR SIEVIERODONETSK

A Rússia espera capturar toda a província oriental de Luhansk, que exige que a Ucrânia ceda aos separatistas junto com a vizinha Donetsk. As duas províncias compõem a região de Donbas, onde Moscou apoia uma revolta de proxies separatistas desde 2014.

Para isso, o Kremlin concentrou suas forças em uma batalha por Sievierodonetsk, que fica em Luhansk.

As tropas ucranianas deixaram em grande parte as áreas residenciais da cidade, mas não conseguiram se posicionar na margem leste do rio Siverskiy Donets. As forças russas também estão avançando do norte e do sul para tentar cercar os ucranianos, mas fizeram progressos limitados.

O comando do exército ucraniano disse no sábado que as tropas russas garantiram posições em duas comunidades perto de Sievierodonetsk, enquanto Serhiy Gaidai, o governador de Luhansk, disse que os russos controlam “a maior parte” da cidade.
Gaidai disse que a estrada principal de Bakhmut a Lysychansk/Sievierodonetsk está sendo constantemente bombardeada, mas não houve mudanças nas posições.

O Ministério da Defesa britânico disse que os russos não fizeram avanços no sul de Sievierodonetsk.

"Intensos combates de rua a rua estão em andamento e ambos os lados provavelmente estão sofrendo um alto número de baixas", disse o ministério em uma atualização de inteligência postada no Twitter.

A Ucrânia disse que a Rússia reagrupou tropas e reabasteceu munições e suprimentos de combustível em preparação para ofensivas em Sloviansk e Siversk, cidades da região de Donetsk.

'CIDADES FELIZES' EM RUÍNAS
O presidente Volodymyr Zelenskiy disse que a Rússia estava tentando "quebrar todas as cidades do Donbas".

"Sievierodonetsk, Lysychansk, Bakhmut, Sloviansk, muitos, muitos outros", disse ele em seu discurso noturno. "Todas essas ruínas já foram cidades felizes."

Ambos os lados dizem que infligiram baixas em massa. A Reuters não pôde verificar imediatamente os relatórios do campo de batalha.

O conselheiro de Zelenskiy, Oleksiy Arestovych, estimou que o exército russo está perdendo em média cinco a seis vezes mais combatentes do que o lado ucraniano.

Questionado em uma entrevista na mídia social se isso sugeria que o exército ucraniano havia perdido até 10.000 combatentes nos primeiros 100 dias da guerra, Arestovych disse: "Sim, algo assim".

O presidente russo, Vladimir Putin, lançou o que ele chama de "operação militar especial" na Ucrânia em 24 de fevereiro, dizendo que seu objetivo era desarmar e "desnazificar" o vizinho da Rússia. Kyiv e seus aliados chamam de guerra de agressão não provocada para capturar território.

Especialistas em armas da França estão ajudando seus colegas ucranianos a coletar evidências de possíveis crimes de guerra russos na região norte de Chernihiv, disse o procurador-geral da Ucrânia. A Rússia nega atacar civis. consulte Mais informação 

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, reforçou no sábado o compromisso de Washington com a região à luz das ações da Rússia.

"A invasão da Ucrânia pela Rússia é o que acontece quando os opressores atropelam as regras que protegem a todos nós", disse Austin a um fórum de segurança asiático em Cingapura. "É uma prévia de um possível mundo de caos e turbulência no qual nenhum de nós gostaria de viver."

🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem