Maceió-AL

Dois casos de varíola dos macacos encontrados na Letônia

AR NEWS NOTÍCIAS 
Os dois primeiros casos de varíola dos macacos foram confirmados na Letônia, informa o Centro de Prevenção e Controle de Doenças. Ambos os pacientes com menos de 50 anos foram infectados no exterior.
Estudando o vírus da varíola dos macacos no laboratório
Estudando o vírus da varíola dos macacos no laboratório

Ambos os pacientes tiveram os mesmos riscos de infecção, observa os Centros de Prevenção e Controle de Doenças.

Relata-se que o segundo paciente está na faixa etária inferior a 50 anos e está doente de forma leve, enquanto sob supervisão de uma unidade médica.
🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui


O primeiro caso tem cerca de 50 anos, ele foi infectado no exterior. A doença neste paciente é leve, ele está sob a supervisão de médicos.

Em conexão com a penetração da infecção no território da Letônia, a SPKC está realizando uma investigação epidemiológica - entrevistando o paciente e organizando as medidas necessárias.

Em uma entrevista coletiva em 3 de junho, a infectologista Ludmila Viksna lembrou os sintomas característicos de uma nova infecção na Letônia:

uma acentuada deterioração do bem-estar,
aumento da temperatura para 38-39 graus,
fortes dores de cabeça e dores musculares,
aproximadamente no terceiro dia - o aparecimento de erupções cutâneas irregulares na pele (incluindo elas podem aparecer nas palmas das mãos e nos pés - o que não é característico de outras doenças infecciosas),
possível aumento dos gânglios linfáticos.

As ações do SPKC são isolar o paciente até que ele se torne não infeccioso, informar seus contatos e identificar novos casos o mais rápido possível para evitar a disseminação da infecção. As pessoas de contato são instruídas a medir a temperatura corporal duas vezes ao dia e monitorar sua saúde e, se aparecer algum sintoma, consulte um médico. O tratamento hospitalar pode ser necessário se o paciente não se sentir melhor em cinco dias. Mas geralmente a doença é leve.

De acordo com o chefe do departamento do SPKC para avaliação de risco de doenças infecciosas, Yuri Perevoshchikov, a quarentena domiciliar, como no caso da covid, não está prevista com varíola: essa infecção se espalha muito lentamente e não é muito contagiosa, você pode se infectar devido ao contato prolongado e próximo com a pessoa doente. No entanto, é importante tomar precauções e medidas de higiene, pois a infecção também é possível por gotículas transportadas pelo ar se o contato for longo.

Lyudmila Viksna também destacou que, como a erupção também ocorre com outras doenças, com seu aparecimento é necessário visitar um médico, e ele já prescreverá os exames necessários.

Perevoshchikov, por sua vez, observou que o perigo neste caso pode estar em uma infecção bacteriana secundária, porque a erupção causa coceira e os pacientes a penteiam, trazendo patógenos para arranhões.

Desde o início de maio, mais de 300 casos de varíola foram registrados na Europa, mas nenhum ainda resultou em um resultado fatal, disse em entrevista coletiva.

🟢Confira  Últimas Notícias 🌎


🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem