Maceió-AL

Autoridades de saúde iraquianas lutam para conter novo surto de febre hemorrágica viral

Veja também

AR NEWS NOTÍCIAS   Brasil, Maceió   27  de junho de 2022

A febre hemorrágica viral é transmitida pelo contato com animais e pode constituir uma "emergência de saúde pública de interesse internacional".
Um funcionário do departamento de saúde desinfeta a área ao redor de uma casa na vila de Al-Bojari, na província de Dhi Qar, no sul do Iraque, onde uma mulher foi infectada com a doença hemorrágica, em 25 de maio de 2022, durante o pior surto detectado no país. doença. - ASAAD NIAZI/AFP
Um funcionário do departamento de saúde desinfeta a área ao redor de uma casa na vila de Al-Bojari, na província de Dhi Qar, no sul do Iraque, onde uma mulher foi infectada com a doença hemorrágica, em 25 de maio de 2022, durante o pior surto detectado no país. doença. - ASAAD NIAZI/AFP 


🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui

As incidências de febre hemorrágica viral (VHF) no Iraque estão aumentando e, em muitos casos, são mortais. Vários casos foram registrados na região do Curdistão, no norte do Iraque, como a Administração do Hospital Veterinário na província de Dhi Qar anunciou em 11 de junho uma ação internacional para erradicar a VHF na província em cooperação com a Cruz Vermelha Internacional (IRC).

O VHF se espalha quando as pessoas entram em contato com animais ou insetos infectados e pode se espalhar de pessoa para pessoa. A doença pode afetar o sistema cardiovascular e os sintomas incluem sangramento discreto ou hemorragia intensa.  

Para evitar outro episódio de surto de VHF em Kirkuk, a Direção de Saúde removeu os currais de animais de dentro da cidade. Em Maysan, uma campanha voluntária  para "introduzir a importância de prevenir a febre hemorrágica" foi lançada em mercados e açougues e aviários, bem como com peixarias.

O Ministério da Agricultura disse em 20 de junho que a falta de equipe veterinária  é um dos motivos mais importantes para a propagação da febre hemorrágica, lembrando que nenhum novo veterinário havia sido nomeado desde 1989.

Waad al-Asadi, um açougueiro da Babilônia, disse : “Há uma clara diminuição na demanda por carne, pois as pessoas têm medo de comer carne, e isso fez com que o mercado estagnasse e o comércio de gado e carne parassem."

O VHF constitui uma “ emergência de saúde pública de interesse internacional”, de acordo com o Regulamento Sanitário Internacional (2009), e nas últimas duas décadas, vários VHFs foram relatados em mais de 12 países.

No entanto, a doença no Iraque não é nova. O porta-voz oficial do Ministério da Saúde, Saif al-Badr, disse em 12 de junho: “A doença no Iraque é endêmica desde a década de 1970, quando várias infecções foram registradas. No entanto, 160 casos confirmados foram registrados este ano, incluindo 26 mortes. Os casos estavam concentrados em Dhi Qar, Maysan, Babilônia, Muthanna, Diwaniyah e na região do Curdistão".


Continue a leitura após o anúncio:
🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

Badr disse: “O Ministério da Saúde possui laboratórios e mecanismos que ajudam a detectar VHFs em um estágio inicial e tem uma vasta experiência no que diz respeito ao tratamento”.

Ele também observou que o papel do ministério consiste em tratar os casos, bem como educar e divulgar, enquanto o papel do Ministério da Agricultura se concentra no controle de pragas, detecção de animais infectados e monitoramento e controle de métodos de matadouro.

Ele esclareceu que o transporte de gado de uma província para outra é responsabilidade das autoridades de segurança, do município da capital e dos governos locais.

Badr acrescentou que “as medidas tomadas para combater as práticas aleatórias de abate estão abaixo do nível exigido”.

O porta-voz do Ministério da Agricultura, Hamid al-Nayef, disse : “O Departamento Veterinário do Ministério da Agricultura inclui médicos especializados e especialistas em saúde, e todos trabalham para combater doenças que afetam os animais ao longo do ano”.

Nayef disse que “assim que surge um caso de VHF, o ministério inicia operações em larga escala para controlar os carrapatos, que são o mediador desse tipo de doença”.

Ele atribuiu o alto número de casos de FHV à “falta de conscientização sanitária e matadouros aleatórios em cidades longe da atenção das autoridades de saúde. Acrescente a isso os baixos níveis de higiene nas fazendas e criadouros de animais e a mistura direta dos animais com os criadores e suas famílias.”

Em um país que sofre com serviços de saúde precários, onde a ausência de uma lei capaz de coibir os abates indiscriminados nas estradas e em praças públicas, e onde as altas temperaturas são a realidade quase o ano todo, as chances de propagação de doenças epidêmicas continuam amplas.

🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️



🖥️ FONTE : Com agências internacionais



Continue a leitura após o anúncio:

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>