Zelenskiy alerta que Rússia está de olho em outros países depois da Ucrânia
Maceió-AL

Siga-nos

Zelenskiy alerta que Rússia está de olho em outros países depois da Ucrânia

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy alertou que a invasão russa de seu país era apenas o começo e que Moscou tem planos de capturar outros países, depois que um general russo disse que quer o controle total sobre o sul da Ucrânia.
Um soldado ucraniano salta de um tanque russo destruído nos arredores da vila de Mala Rohan, em meio à invasão russa da Ucrânia,
Um soldado ucraniano salta de um tanque russo destruído nos arredores da vila de Mala Rohan, em meio à invasão russa da Ucrânia,


  • Rússia diz que planeja controle total de Donbas e sul da Ucrânia
  • Ucrânia diz que comentários mostram que Rússia está buscando ocupação
  • Reino Unido diz que forças russas não obtiveram grandes ganhos em 24 horas
  • Autoridade da UE vê semanas decisivas
  • Ucranianos temem por entes queridos desaparecidos na devastada Mariupol
  • Negociador russo confirma que 'várias conversas longas' ocorreram com o lado ucraniano
  • Cronograma: A invasão da Ucrânia pela Rússia entra no terceiro mês

🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui
KYIV/MARIUPOL, Ucrânia, 23 Abr (Reuters) - O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, alertou que a invasão russa de seu país era apenas o começo e que Moscou tem planos de capturar outros países, depois que um general russo disse que quer controle total sobre o sul da Ucrânia.

"Todas as nações que, como nós, acreditam na vitória da vida sobre a morte devem lutar conosco. Eles devem nos ajudar, porque somos os primeiros da fila. E quem virá a seguir?" Zelenskiy disse em um discurso em vídeo na sexta-feira.

Rustam Minnekayev, vice-comandante do distrito militar central da Rússia, foi citado por agências de notícias estatais russas dizendo que o controle total sobre o sul da Ucrânia daria acesso à Transnístria, uma parte separatista da Moldávia ocupada pelos russos no oeste. 

Isso cortaria todo o litoral da Ucrânia e significaria que as forças russas avançariam centenas de quilômetros mais a oeste, passando pelas principais cidades costeiras ucranianas de Mykolaiv e Odesa.

A declaração foi uma das mais detalhadas sobre as ambições de Moscou na Ucrânia e sugere que a Rússia não planeja encerrar sua ofensiva lá tão cedo.

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse que os comentários de Minnekayev mostraram que a Rússia não está mais escondendo suas intenções.

Moscou, disse no Twitter, agora "reconheceu que o objetivo da 'segunda fase' da guerra não é a vitória sobre os míticos nazistas, mas simplesmente a ocupação do leste e do sul da Ucrânia. O imperialismo como é".

Mas, apesar dos objetivos ambiciosos da Rússia e das alegações de ter tomado Mariupol, suas forças não obtiveram grandes ganhos nas últimas 24 horas, disse a inteligência militar britânica neste sábado.

Os contra-ataques ucranianos continuam a atrapalhar os esforços de Moscou, e os combates pesados ​​estão frustrando as tentativas russas de capturar a principal cidade portuária, impedindo seu progresso no Donbas, twittou o Ministério da Defesa em um boletim regular.

A Rússia diz que está realizando uma "operação militar especial" para desmilitarizar a Ucrânia e libertar sua população de nacionalistas perigosos. A Ucrânia e seus aliados ocidentais chamam a invasão russa de 24 de fevereiro de uma guerra de agressão injustificada.

O Ministério das Relações Exteriores da Moldávia disse que convocou o embaixador de Moscou na sexta-feira para expressar "profunda preocupação" com os comentários do general. A Moldávia era neutra, disse. No mês passado, a Moldávia se candidatou à União Europeia, traçando um curso pró-ocidente acelerado pela invasão da Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, se recusou a comentar se a Rússia havia expandido suas metas ou como Moscou via o futuro político do sul da Ucrânia.

Enquanto o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, se encontrava com o primeiro-ministro ucraniano Denys Shmyhal em Washington, Zelenskiy disse que os aliados estavam finalmente entregando as armas que Kiev havia pedido.

O presidente Joe Biden disse na quinta-feira que autorizou mais US$ 800 milhões em ajuda militar para a Ucrânia, incluindo artilharia pesada, munição e drones. O Canadá disse na sexta-feira que forneceu mais artilharia pesada para a Ucrânia. 

🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

Um alto funcionário da UE disse que as próximas semanas provavelmente serão decisivas. "É provável que vejamos um aumento muito significativo na intensidade dos ataques militares russos no leste (e na) costa", disse ele a repórteres.

Os militares da Ucrânia disseram que a Rússia continua suas operações ofensivas no leste, tentando estabelecer o controle total das regiões de Donetsk e Luhansk e garantir uma conexão terrestre com a Crimeia.

As forças russas também estão bloqueando parcialmente a cidade de Kharkiv, de acordo com uma atualização da manhã de sábado do estado-maior da Ucrânia.

Em Mykolaiv, 87 civis morreram na invasão, incluindo uma criança, disse o prefeito Oleksandr Senkevich na sexta-feira em sua página no Facebook. Cerca de 400 pessoas ficaram feridas. A Reuters não pôde verificar independentemente os relatórios de nenhum dos lados.

Ramzan Kadyrov, líder da região russa da Chechênia, que muitas vezes se descreveu como "soldado de infantaria" de Putin, escreveu em sua conta oficial do Telegram na sexta-feira que a Chechênia estava enviando centenas de voluntários adicionais para lutar pela Rússia na Ucrânia.

Em Genebra, o escritório de direitos humanos das Nações Unidas disse que há evidências crescentes de crimes de guerra russos, incluindo bombardeios indiscriminados e execuções sumárias. Ele disse que a Ucrânia também parece ter usado armas com efeitos indiscriminados.

A Rússia nega atacar civis e diz, sem provas, que os sinais das atrocidades cometidas por seus soldados foram falsificados. A Ucrânia disse anteriormente que punirá todos os soldados que cometerem crimes de guerra.

A Rússia disse que "bloqueou com segurança" milhares de soldados ucranianos escondidos em uma enorme siderúrgica em Mariupol, o principal porto de Donbas, um dia depois que o presidente Vladimir Putin disse que o Exército não se incomodaria em extirpá-los.

Putin declarou vitória na cidade após um cerco de quase dois meses. Em uma seção de Mariupol controlada pelos russos, moradores de aparência atordoada se aventuraram esta semana em um cenário de prédios de apartamentos carbonizados e carros destruídos.

Voluntários em trajes de proteção e máscaras brancas percorreram as ruínas, coletando corpos de apartamentos e carregando-os em um caminhão marcado com a letra "Z", símbolo da invasão da Rússia.

A Ucrânia estima que dezenas de milhares de civis morreram no cerco da cidade pela Rússia e diz que 100.000 civis ainda estão lá e precisam de evacuação total.

A vice-primeira-ministra Iryna Vereshchuk disse na sexta-feira que "há uma possibilidade" de que um corredor humanitário saindo de Mariupol possa ser aberto no sábado.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, visitará Moscou na terça-feira para se encontrar com Putin e discutir urgentemente a paz na Ucrânia, disse um porta-voz, acrescentando que Guterres seguirá para Kiev para conversar com Zelenskiy.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Reportagem de Maria Starkova em Lviv e outros jornalistas da Reuters; Escrito por David Brunnstrom e Kim Coghill; Edição por Rosalba O'Brien e William Mallard

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem