EUA acusam oligarca russo e desmantelam operação de cibercrime
Maceió-AL

Siga-nos

EUA acusam oligarca russo e desmantelam operação de cibercrime

WASHINGTON (AP) - O governo Biden acusou um oligarca russo ligado ao Kremlin de violar as sanções do governo dos Estados Unidos e interrompeu uma operação de cibercrime lançada por uma agência de inteligência militar russa, disseram autoridades na quarta-feira.


Cybercriminoso Putin
Cybercriminoso Putin


As ações ocorreram no momento em que o Departamento de Justiça disse que estava acelerando os esforços para rastrear ativos ilícitos russos e quando promotores norte-americanos ajudaram colegas europeus a reunir provas sobre potenciais crimes de guerra cometidos pela Rússia durante sua guerra contra a Ucrânia .


Funcionários do FBI e do Departamento de Justiça anunciaram as medidas no mesmo dia em que os EUA revelaram separadamente sanções contra as duas filhas adultas do presidente russo Vladimir Putin e sanções que bloquearam dois importantes bancos russos.

“Estamos de olho em todos os iates e jatos. Estamos de olho em todas as obras de arte e imóveis comprados com dinheiro sujo e em todas as carteiras de bitcoin cheias de produtos de roubo e outros crimes”, disse a vice-procuradora-geral Lisa Monaco, acrescentando que “nosso objetivo é garantir que os oligarcas russos sancionados e os criminosos cibernéticos não encontrarão refúgio seguro.”

A acusação contra Konstantin Malofeyev, barão da mídia russa e fundador do canal de notícias ortodoxo russo Tsargrad TV, é a primeira de um oligarca desde que a guerra da Rússia com a Ucrânia começou em fevereiro. Malofeyev alardeou a invasão como uma “guerra santa” e apoiou grupos separatistas alinhados à Rússia na Ucrânia.

Ele foi sancionado pelo Departamento do Tesouro em 2014 por financiar russos que promoviam o separatismo na Crimeia. Embora essas sanções o impedissem de fazer negócios com cidadãos dos EUA, os promotores dizem que Malofeyev evitou essas restrições ao contratar um produtor de televisão americano para trabalhar para ele em redes de televisão na Rússia e na Grécia e contou com sua ajuda na tentativa de adquirir uma rede de TV na Bulgária. Tudo fazia parte de um esforço para espalhar propaganda pró-Rússia por toda a Europa, disse o Departamento de Justiça.

Jack Hanick, ex-funcionário da CNBC e da Fox News, foi preso no mês passado por seu trabalho como produtor de televisão para Malofeyev. Esse caso está pendente.


🔵 Acompanhe nosso blog site no Google News  para obter as últimas notícias 📰 aqui

Malofeyev não está sob custódia e acredita-se que esteja na Rússia. Não ficou imediatamente claro se ele tinha um advogado para falar em seu nome. As duas acusações de sanções acarretam uma pena máxima de 20 anos de prisão.

O Departamento de Justiça disse que está buscando a apreensão de um investimento de US$ 10 milhões que Malofeyev havia transferido ilegalmente para um parceiro de negócios na Grécia.

As autoridades federais também anunciaram que derrubaram uma botnet – uma rede de computadores sequestrados normalmente usada para atividades maliciosas – que era controlada pela agência de inteligência militar russa conhecida como GRU. A botnet, que neste caso envolveu milhares de dispositivos de hardware de rede infectados, foi desmantelada antes que pudesse causar danos, disse o diretor do FBI, Christopher Wray.

Os anúncios de quarta-feira vieram dois dias depois que autoridades dos EUA apreenderam um enorme iate na Espanha pertencente a um oligarca russo, Viktor Vekselberg, com laços estreitos com o presidente russo Putin.
🟢Confira  Últimas Notícias 🌎

Após o início da guerra, o Departamento de Justiça criou uma força-tarefa para aplicar sanções contra os oligarcas russos e visar lucros ilícitos.

O procurador-geral Merrick Garland disse na quarta-feira que os promotores do Departamento de Justiça também estão ajudando os esforços internacionais para descobrir possíveis crimes de guerra cometidos pela Rússia. Autoridades dos EUA se reuniram com promotores europeus para desenvolver um plano de coleta de provas, disse ele.

“Vimos os cadáveres de civis, alguns com as mãos atadas, espalhados pelas ruas. Vimos as valas comuns. Vimos o hospital, o teatro e os prédios residenciais bombardeados", disse Garland. "O mundo vê o que está acontecendo na Ucrânia. O Departamento de Justiça vê o que está acontecendo na Ucrânia.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem