Maceió-AL

Variante Omicron aumentou o número de casos na América do Sul

Veja também

omicron américa do sul
omicron américa do sul

Variante Omicron aumentou o número de casos na América do Sul


A rápida disseminação da variante do coronavírus Omicron gerou alertas terríveis de profissionais de saúde em toda a América do Sul, à medida que a pressão aumenta nos hospitais cujos funcionários estão de licença médica, deixando as instalações com falta de pessoal para lidar com o COVID-19.
🔵 Siga nosso blog site no Google News  para obter as últimas atualizações 📰 aqui

      A terceira onda “está afetando muito a equipe de saúde, desde a equipe de limpeza até os técnicos, com alta porcentagem de pessoas doentes, apesar de ter um calendário completo de vacinação”.
“Embora os sintomas sejam principalmente leves a moderados, esse grupo precisa ser isolado”.

Cerca de dois terços dos cerca de 435 milhões de habitantes da América do Sul estão totalmente imunizados, a porcentagem mais alta para qualquer região global, de acordo com Our World in Data, e profissionais de saúde no Brasil, Bolívia e Argentina já receberam vacinas de reforço.

Mas a variante Omicron aumentou o número de casos.

A Argentina registrou uma média de 112.000 casos diários confirmados na semana até 16 de janeiro, acima dos 3.700 do mês anterior, enquanto dados do Ministério da Saúde do Brasil mostram um salto para uma média de 69.000 casos diários no mesmo período de sete dias, um aumento de 1.900%. do mês anterior.

O conselho de secretarias estaduais de saúde do Brasil estima que entre 10 e 20% de todos os profissionais da rede de saúde – incluindo médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, motoristas de ambulância e outros em contato direto com pacientes – estão de licença médica desde a última semana de 2021.

“Estamos com problemas para fazer os cronogramas”, disse o diretor do conselho, Carlos Lula.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro disse que cerca de 5.500 profissionais deixaram seus empregos desde dezembro. Todas as cirurgias eletivas agendadas na rede estadual de saúde estão suspensas por quatro semanas. Quanto ao atendimento de urgência, realocações e horas extras estão sendo usadas como medidas paliativas.

“Quarenta por cento do nosso pessoal está de licença médica”, disse Marcia Fernandes Lucas, secretária de saúde do município de São João de Meriti, na região metropolitana do Rio. “Conseguimos trabalhar com esses 60%, redistribuindo-os (entre centros de saúde).”

Na Bolívia, os hospitais públicos estão operando com 50% a 70% da capacidade devido ao alto número de infecções entre os profissionais de saúde, segundo o sindicato dos médicos bolivianos.

Na semana passada, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) alertou que o sistema de saúde da região estava “sendo desafiado” em meio a um número sem precedentes de novas infecções ligadas à variante Omicron.

A diretora da OPAS, Carissa Etienne, disse que os casos nas Américas subiram para 6,1 milhões em 8 de janeiro, acima dos 3,4 milhões de casos em 1º de janeiro.

“As infecções estão se acelerando em todos os cantos da região das Américas e, mais uma vez, nossos sistemas de saúde estão sendo desafiados à medida que as visitas às salas de emergência e as hospitalizações aumentam”, disse Etienne durante uma coletiva de imprensa.


  🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>