Maceió-AL

Funeral fascista com caixão envolto em bandeira nazista causa indignação na comunidade judaica e católica em Roma

Veja também


Funeral fascista
Funeral fascista



Um funeral em Roma para um militante de extrema direita no qual o caixão estava coberto com uma bandeira nazista com uma suástica foi condenado como um ultraje pela comunidade judaica da Itália.

A Igreja Católica também criticou o uso do símbolo nazista, com os padres das paróquias dizendo que não tinham ideia de que seria colocado sobre o caixão ao ser carregado para a igreja.

A bandeira vermelha, branca e preta cobria o caixão de Alessia Augello, membro do partido neofascista Forza Nuova, que morreu de complicações pós-operatórias na semana passada aos 44 anos.

🔵 Siga nosso blog site no Google News  para obter as últimas atualizações aqui

      Membros do Forza Nuova fizeram saudações fascistas de braços rígidos quando o caixão entrou na igreja paroquial de Santa Lucia na segunda-feira.

Ultraje a comunidade judaica da Itália.

A comunidade judaica de Roma disse que era inacreditável que mais de 70 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, tais eventos pudessem acontecer.

“É inaceitável que uma bandeira com uma suástica ainda possa ser mostrada em público hoje em dia, especialmente em uma cidade que viu a deportação de seus judeus pelos nazistas e seus colaboradores fascistas”, disse a comunidade em comunicado.

Emiliano Fiano, um deputado de centro-esquerda que é judeu, disse: “Não deve ser permitido em 2022 que esta bandeira seja exibida do lado de fora de uma igreja para um funeral”.

Em outubro de 1943, tropas alemãs cercaram mais de 1.000 judeus do Gueto, uma parte histórica de Roma que continua sendo o coração espiritual da comunidade judaica da cidade, e os deportaram para campos de extermínio. No final da guerra, apenas 16 retornaram.

Uma placa na área, um amontoado de ruas de paralelepípedos e restaurantes kosher, homenageia um pai judeu que chegou em casa e descobriu que sua esposa e nove filhos haviam sido deportados para Auschwitz. Ele nunca mais os viu.

A polícia abriu uma investigação sobre a colocação da bandeira no caixão e os responsáveis ​​podem ser acusados ​​de apologia ao fascismo.

'Incompatível com o cristianismo'

Em um comunicado, os párocos expressaram “consternação” e disseram que queriam se distanciar de “todas as palavras, símbolos e gestos usados ​​fora da igreja relacionados a ideologias extremistas distantes do Evangelho”.

Membros do Forza Nuova são acusados ​​de saquear a sede de um dos maiores sindicatos da Itália durante um motim anti-vacinação em Roma em outubro passado . Eles também visaram o parlamento e os escritórios de Mario Draghi, o primeiro-ministro, e devem ser enviados a julgamento.

A diocese de Roma descreveu a bandeira nazista como um “horrível símbolo incompatível com o cristianismo”, condenando o incidente como “ofensivo e inaceitável”.

fonte;telegraph
 Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>