Maceió-AL

África: aumento de casos de leishmaniose visceral

Veja também

Casos esporádicos de leishmaniose foram relatados no Chade desde 2018. Desde 1º de janeiro de 2018 a 31 de maio de 2021, um total de 122 casos de LV e seis mortes foram relatados por três províncias de N'Djamena, Borkou e Tibesti.
oms
oms


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Leishmaniose Visceral (LV) é endêmica em algumas áreas do Chade.

A leishmaniose visceral (LV), também conhecida como calazar, ou febre negra, é a forma mais grave de leishmaniose. É uma doença causada por um parasita do gênero Leishmania. 

Entre os parasitas, é o segundo maior assassino do mundo depois da malária. Cada um (Plasmodium e Leishmania) é responsável por cerca de meio milhão de mortes  a cada ano

O atual aumento de casos chama muita atenção, e ações de saúde pública apropriadas foram tomadas para incluir o fortalecimento da vigilância, um sistema de laboratório foi instalado e todos os casos suspeitos foram testados.

Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
–>