{ads}

Ditadores da Turquia e Irã sublinharam apoio à organização terrorista Hamas

Leia outros artigos :

Os ditadores turco e iraniano cumprimentam-se  em Tashkent, no Uzbequistão. Foto: Reuters/Assessoria de Imprensa Presidencial Turca


Os líderes da Turquia e do Irã manifestaram publicamente seu apoio ao grupo terrorista conhecido como Hamas durante uma reunião realizada em Tashkent, no Uzbequistão. Nesse encontro da Organização de Cooperação Econômica (ECO), que reúne nações como Irã, Turquia, Paquistão, Azerbaijão e Uzbequistão, o presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, e seu homólogo iraniano, Ebrahim Raisi, lançaram críticas contundentes contra Israel e seus aliados ocidentais.

O foco principal de Erdoğan foi a resposta militar de Israel ao incidente do Hamas ocorrido em 7 de outubro no sul de Israel. Em seu discurso, o líder turco instou os países muçulmanos a unirem suas vozes em defesa da causa palestina, enquanto criticava as nações ocidentais por sua suposta hipocrisia. Ele acusou a administração israelense, apoiada pelos países ocidentais, de bombardear indiscriminadamente escolas, hospitais, igrejas, universidades e assentamentos civis. Erdoğan enfatizou que os países ocidentais, que frequentemente falam sobre direitos humanos, liberdades e democracia, permanecem impassíveis diante dos massacres israelitas.

Por sua vez, Raisi condenou veementemente as ações de Israel, referindo-se a elas como "crimes terríveis". Ele também apontou os Estados Unidos como o principal parceiro do Estado judeu, intensificando as críticas ao envolvimento internacional no conflito.

Além disso, Erdoğan reiterou uma proposta turca feita três semanas antes para coordenar a garantia de Gaza após o término dos combates. O Ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Hakan Fidan, explicou que o objetivo era pressionar Israel a concordar com uma solução de dois Estados para o conflito com os palestinos. Segundo Fidan, os países da região, a Liga Árabe e a Organização de Cooperação Islâmica deveriam atribuir grande importância a essa proposta. Ele sugeriu que os países que garantissem o lado palestino fossem da região, incluindo a Turquia, enquanto outros países deveriam assumir a responsabilidade de garantir Israel.

Em um desenvolvimento separado, o Irã respondeu com indignação a uma declaração do G7, emitida em Tóquio, que instava o regime iraniano a cessar seu apoio ao Hamas. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Nasser Kanani, afirmou que o Irão estava empenhado em esforços ininterruptos para proteger os cidadãos de Gaza contra os ataques militares do regime israelita. Ele expressou desapontamento com a falta de condenação por parte do G7 aos atos de Israel, que, segundo ele, violam os direitos humanos e o direito internacional em Gaza.
AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:

🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.