{ads}

Bebê de nove meses entre reféns capturados pelo Hamas

Leia outros artigos :

O bebê Kfir, de nove meses, e seu irmão Ariel, de quatro anos, estão entre as crianças desaparecidas sequestradas em Israel pelo Hamas - Eddie Mulholland


Um bebê de nove meses está entre os cerca de 130 reféns israelenses que se acredita terem sido feitos por terroristas do Hamas.

Baby Kfir foi apontado como uma das crianças desaparecidas sequestradas em Israel ao lado de seu irmão Ariel, de quatro anos.

Imagens angustiantes mostram o momento em que as crianças foram arrancadas da mãe, Shiri Silberman-Bibas, 30 anos, que implorou misericórdia aos terroristas.

Fotos de Kfir e Ariel foram exibidas em uma coletiva de imprensa em Londres esta manhã, ao lado de fotos de outras pessoas desaparecidas, incluindo Tomer Eliaz Arava, 17, e quatro membros de sua família.

Durante o ataque, a Sra. Silberman-Bibas, o seu marido, Yarden, e os seus dois filhos pequenos correram para uma sala segura, armados apenas com uma pistola, enquanto homens armados tentavam arrombar a sua porta.

Silberman-Bibas teria enviado uma mensagem de texto aos parentes “Eu amo todos vocês” enquanto o casal se abrigava, antes de escrever mais tarde “eles estão chegando”.

Não se teve notícias da família desde o ataque e os pais da Sra. Silberman-Bibas também estão desaparecidos, temendo-se que tenham sido raptados.

'Segundo holocausto'

A mãe de Noam Sagi, de 75 anos, e os pais idosos de Sharon Lifschitz também estão entre os sequestrados. Pensa-se que eles foram retirados de suas casas no Kibutz Nir Oz, perto da fronteira com Gaza, no sábado – o mesmo kibutz de Kfir e Ariel.

Acredita-se que cerca de 80 pessoas foram capturadas no Kibutz Nir Oz no total, de acordo com dados da Defend Israel Democracy UK.

Sagi e Lifschitz, ambos britânicos, qualificaram os ataques de “segundo holocausto” e apelaram ao regresso seguro dos seus pais e de outros reféns.

Ao discursar na conferência, Sagi, 53 anos, disse aos jornalistas que não recebeu mais informações desde que a sua mãe foi raptada pelo Hamas.

“A vida é extremamente difícil – nada prepara você para isso”, disse ele.

Ele acrescentou: “Minha mãe está viva? Ela não é? Alguém pode me lembrar por que ela é refém? Por ser judeu, por viver em Israel?”

Lifschitz, 52 anos, disse que sua mãe tinha uma alergia grave a poeira – mas sua EpiPen e seu inalador foram deixados para trás por seus sequestradores.

Ela acrescentou: “Juntos vivenciamos algo que é tão horrível que não podemos contemplar. Mas temos um trabalho a fazer agora e todos nós estamos concentrados no trabalho que temos em mãos, e o trabalho é trazer essas pessoas de volta para casa.”

Desde sábado, pelo menos 2.400 pessoas em Gaza e em Israel foram mortas .
AR News
Continue a leitura do texto após o anúncio:
Confira>> Últimas Notícias 🌎

Siga-nos


📙 GLOSSÁRIO:

🖥️ FONTES :
Com Agências :

NOTA:
O AR NEWS publica artigos de várias fontes externas que expressam uma ampla gama de pontos de vista. As posições tomadas nestes artigos não são necessariamente as do AR NEWS NOTÍCIAS.
🔴Reportar uma correção ou erro de digitação e tradução :Contato ✉️
Continue a leitura no site após o anúncio:

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados ​​pelo administrador.